Souza e Monteiro









Página Inicial


Para saber mais...


Página Índice dos Compositores e Intérpretes


Ouvir Música Caipira





Geraldo Braz de Souza nasceu em Igarapava-SP no dia 07/10/1924 e faleceu no dia 19/07/1993 em sua cidade-natal. Francisco Monteiro dos Santos nasceu em Taubaté-SP no dia 19/12/1930 e faleceu no dia 05/12/1959, poucos dias antes de completar 29 anos, vítima de um acidente com a Kombi na qual viajava, na estrada Marília-Londrina, no Interior do Paraná, onde eles iriam se apresentar (na Kombi faleceram seis pessoas, nesse acidente, sendo que o Souza escapou porque já havia chegado antes a Londrina-PR).

Ainda na adolescência, Souza se mudou para Taubaté-SP, onde conheceu os companheiros das duas duplas que formou (o Pintassilgo e o Monteiro).

Existiram duas Duplas Caipiras que eram "Artilheiro e Fumaça" (na foto à esquerda) e "Patativa e Pintassilgo", as quais atuavam em Taubaté-SP e dividiam o palco nos diversos circos, festas e programas de rádio. Segundo consta, ambas as duplas não chegaram a gravar nenhum disco.


Até que um dia, em 1952, o compositor Anacleto Rosas Junior havia chegado a Taubaté-SP, onde passou a morar. Influenciados por Anacleto, as duplas foram desfeitas e o Patativa formou uma nova dupla com o Fumaça, tendo adotado, algum tempo depois, os nomes de Souza e Monteiro, respectivamente (na foto à direita), aproveitando os seus verdadeiros sobrenomes para formar o nome da dupla.

Souza chegou a trabalhar com Anacleto na "Casa Cabocla", loja onde eram vendidos artigos diversos, tais como utilitários de montaria, gaiolas, instrumentos musicais e discos (produzidos pelo próprio Compositor e também gravados por intérpretes que cantavam suas músicas). Souza atendia os clientes na loja e também experimentava e afinava os instrumentos musicais.

Também foi Anacleto Rosas Junior que levou à nova dupla à gravação do primeiro disco, na gravadora Todamérica em 1953, com as marchas campeiras "Boiadeiro Bão" (Anacleto Rosas Jr. - Arlindo Pinto) e "De São Paulo ao Rio Grande" (Anacleto Rosas Jr.).

No mesmo ano, gravaram o segundo "bolachão" 78 RPM com a moda campeira "Vaca Mestiça" (Anacleto Rosas Jr.) e o cururu "A Volta do Canoeiro" (Anacleto Rosas Jr.).

Em 1954, Souza e Monteiro gravaram mais 3 discos 78 RPM, com destaque para as modas campeiras "Resposta à Baldrana" (Teddy Vieira - Lauripes Pedroso) e "João Gaiteiro" (Teddy Vieira - Zé Ribeiro), além da moda de viola "Goianinha" (Ado Benatti - Patativa).

No ano seguinte, foi apenas um disco gravado, com destaque para o valseado "Amor Passageiro" (Teddy Vieira - Comendador Biguá). E, em 1956, Souza e Monteiro gravaram três discos, com destaque para a toada "Velho Moinho" (Elpídio dos Santos) e o cururu "Amor Perfeito" (Nhô Fio).

E, em 1957, a dupla gravou dois discos 78 RPM, com destaque para a moda campeira "Terras do Paraná" (Anacleto Rosas Jr. ).

Em 1959, Souza e Monteiro trocaram a Todamérica pela Continental, onde a dupla gravou um disco 78 RPM com a guarânia "Feitiço espanhol" (Goiá - Zacarias Mourão) e o xote "Filho de Guarapuava" (Souza - Cachoeirinho) (que é a música, cujo trecho o Apreciador ouve ao acessar essa página).

E, em 1962, nova troca de gravadora, dessa vez no selo Caboclo, a dupla gravou mais um disco 78 RPM, destacando a polca "Pequena Homenagem" (Souza - Domingos Greco).

Ao que consta, foram apenas 13 "bolachões" 78 RPM, com 26 músicas no total, o repertório gravado pela dupla "Souza e Monteiro", dupla essa que durou bem pouco e se desfez tragicamente no final de 1959, conforme foi mencionado.

Consta também que, após o falecimento do Monteiro, no acidente no Interior do Paraná, Souza ainda chegou a formar dupla com outro companheiro, conservando na dupla o mesmo nome "Souza e Monteiro" e, nessa formação, foi que gravou o 13º disco 78 RPM, pelo selo Caboclo em 1962.

Souza faleceu no dia 19/07/1993 em Igarapava-SP, sua cidade-natal, vítima de derrame cerebral, tendo deixado dois filhos (Jorge Luís Braz de Souza e Josiel Martins de Souza).

Apesar da pouca duração, a dupla "Souza e Monteiro" deixou importante contribuição, fazendo parte da História da Música Caipira Raiz.

Pouquíssimo se sabe sobre essa Dupla Caipira. Fora o Dicionário Ricardo Cravo Albin de Música Popular Brasileira, nada encontrei, nem na Internet nem nos livros, sobre essa importante dupla do Vale do Paraíba. E foi graças às informações enviadas por Helvécio Freitas (Jornalista e também coordenador do Museu da Imagem e do Som de Taubaté-SP) que esse pequeno resumo biográfico foi possível, num esforço para eternizar a Memória de "Souza e Monteiro". Parte dessas informações foram também fornecidas ao Helvécio por Jorge Luiz Braz de Souza que é filho do Souza e reside na Capital Paulista.


Como o Apreciador pode perceber, a dupla "Souza e Monteiro" merece estar entre os passageiros "embarcados nesse trem". Trata-se realmente de uma excelente Dupla Caipira Raiz, no entanto, com todas as pesquisas que venho fazendo, pouquíssimo material encontrei sobre "Souza e Monteiro". Na Internet, conforme já mencionei, só encontrei alguma informação sobre eles no excelente site do Dicionário Ricardo Cravo Albin de Música Popular Brasileira no entanto, informações muito vagas e excessivamente resumidas.

Quero aqui convidar o Apreciador a participar desse site, enviando informações adicionais tais como o nome completo dos integrantes da dupla, data e local de nascimento, data e local de falecimento (se for o caso), fotos, "escaneios" de capas de discos e biografias, informações que são de fundamental importância para um bom resumo biográfico.

Qualquer informação ou qualquer material útil podem ser enviados para o e-mail


[email protected].

O nome do(s) colaborador(es) e também dos respectivos sites (se for o caso) serão mencionados nessa página dedicada à dupla "Souza e Monteiro".

Ricardinho, o criador desse site, agradece antecipadamente a quem puder enviar qualquer material que possa ser útil para imortalizar a dupla "Souza e Monteiro"!

Quero inclusive agradecer desde já a preciosíssima colaboração que foi enviada pelo Jornalista Helvécio Freitas que coordena o Museu da Imagem e do Som de Taubaté-SP, conforme já foi mencionado acima, e também às informações fornecidas ao Helvécio, pelo Jorge Luiz Braz de Souza, filho do Souza que fez a inesquecível dupla com o Monteiro.

Muito obrigado, "Cumpadre" Helvécio e "Cumpadre" Jorge Luiz, por esse gesto, que ajuda a enriquecer a Memória Musical Brasileira!!




Essa viagem pela Música Caipira Raiz continua: Clique aqui e pegue o trem, que ele agora irá para Borborema-SP e Santa Adélia-SP: conheça um pouquinho dessa Dupla Raiz que ficou conhecida como "A Única Dupla Sertaneja Canhota" e que destacou em seu repertório a Congada e a Folia-De-Reis, festejos religiosos típicos das Regiões Centro-Oeste e Sudeste do Brasil. Seu maior sucesso foi "Divino Espírito Santo", música gravada em 1957, que lhes valeu o Troféu Roquete Pinto e também o Prêmio Chico Viola! Conheça um pouquinho dessa excelente dupla que foi Torrinha e Canhotinho.


Ou então, se você preferir outro compositor ou intérprete, clique aqui e "pegue outro trem para outra estação", na Página-Índice dos Compositores e Intérpretes.
















Voltar ao Topo