Venâncio e Curumba









Página Inicial


Para saber mais...


Página Índice dos Compositores e Intérpretes


Ouvir Música Caipira





Marcos Cavalcanti de Albuquerque, o Venâncio, nasceu em Recife-PE no dia 07/10/1909 e faleceu no dia 18/09/1981. Manuel José do Espírito Santo, o Curumba, também nasceu em Recife-PE no dia 11/06/1914.

Venâncio iniciou sua carreira artística cantando Cocos em festas de São João, Santana e São Pedro. Até que um dia recebeu um convite para substituir um Ator numa apresentação teatral. Gostou da experiência de tal forma que decidiu fazer Curso de Teatro no Círculo Operário. E o Grupo de Teatro do Círculo Operário chegou a ter Venâncio como Diretor Teatral.

Foi no ano de 1928 que Marcos conheceu Manoel José e ambos formaram a dupla "Venâncio e Curumba", que veio a ser não somente uma das mais longas parcerias da Música Sertaneja Nordestina, mas também uma raríssima "Dupla Nordestina Caipira à Moda Sulista", que mesclou a Moda de Viola com o Repente e o Desafio típicos da Região Nordeste do Brasil.

A Dupla de início começou a se apresentar na Rádio Clube de Pernambuco, na qual permaneceu por onze anos, apresentando programas musicais e humorísticos diversos.

E, no início da década de 1940, Venâncio e Curumba trocaram Recife-PE pelo Rio de Janeiro-RJ, onde atuaram na Rádio Tupi e na Rádio Tamoio.

Foi em Dezembro de 1950 que a Dupla gravou pela Sinter o primeiro Disco 78 RPM (Nº 020), tendo no Lado A a Batucada "Sai Da Frente" (Clementino Barreto - Enedino Silva - Edgard Amaral) e no Lado B a Marcha "O Doido" (Edgard Amaral - Enedino Silva).

No mesmo ano, Venâncio e Curumba fizeram parte do Elenco da Peça Teatral "As Rolhas Vão Rolar" e, com esse espetáculo, realizaram uma temporada em São Paulo-SP, cidade na qual decidiram se fixar.

Na Capital Paulista, a dupla foi contratada pela Rádio Nacional (hoje Globo). Venâncio e Curumba passaram também a empresariar Artistas (especialmente os oriundos da Região Nordeste do Brasil) através da "Venca Promoções", empresa por eles criada.

Venâncio foi, por sinal, uma das pessoas do Meio Artístico que mais trabalharam para melhorar o "status" do Nordestino na Paulicéia Desvairada, tendo sido inclusive Presidente da Associação de Repentistas, Poetas e Folcloristas do Brasil, na década de 1970.

Em 1953, Venâncio e Curumba gravaram pela Todamérica o Disco 78 RPM (Nº TA-5.310), tendo, no Lado A, uma das Músicas com que mais fizeram sucesso, que foi a Toada "O Boi Na Cajarana" (Venâncio - Corumba), e no Lado B, a Valsa "Saudades De Brejão" (Corumba - Venâncio).

Em Janeiro de 1956 a dupla gravou na Odeon o Disco 78 RPM (Nº 14.019), tendo no Lado A "Último Pau-De-Arara" (José Guimarães - Corumba - Venâncio) e no Lado B a Toada "Saudade De Você" (Williams Martins da Silva - Rogério Lucas).

O inesquecível Baião "Último Pau-De-Arara" (José Guimarães - Corumba - Venâncio) (a Música cujo trecho o Apreciador ouve ao acessar essa página) foi um dos maiores sucessos da Dupla e tornou-se um Clássico da Música Popular Brasileira, tendo sido gravado também por diversos grandes Intérpretes do quilate de Ari Lobo, Catulo de Paula, Quinteto Violado, Clara Nunes, Fagner, Maria Bethânia, Vanuque, Jair Rodrigues, Sérgio Reis, Zé Ramalho, Gilberto Gil, Teca Calazans, Caju e Castanha, Heraldo do Monte e Carmélia Alves, apenas para citar alguns.

Venâncio e Curumba também brilharam como Compositores e diversas Músicas de autoria da Dupla foram gravadas também por renomados Intérpretes tais como Zito Borborema e Seus Cabras-da-Peste, Gilvan Chaves, Jackson do Pandeiro, Trio Nordestino, Rolando Boldrin, Luís Wanderley, Nerino Silva, Chico Anísio, Arnaud Rodrigues, Ednaldo Queiroz, Anastácia e Banda Mantiqueira, apenas para citar alguns. Isso tudo sem mencionar os diversos excelentes intérpretes que gravaram "Último Pau-De-Arara" (José Guimarães - Corumba - Venâncio), conforme citado logo acima!

A dupla, no entanto, se desfez no ano de 1968. Curumba seguiu em frente como Empresário, enquanto que Venâncio continuou atuando como Compositor, tendo sempre como "carro-chefe" os Aspectos Folclóricos da riquíssima Música da Região Nordeste do Brasil.

Venâncio chegou a formar o Grupo "Venâncio e os Baianos de Aracaju", com o qual gravou em 1977 pela Premier/RGE o LP "Brasil Com S" (Nº 307.3328), o qual foi bem aceito pela crítica. Ao que consta, esse foi o último LP gravado por Venâncio.

Venâncio também chegou a criar a gravadora "Crazy", a qual, apesar do "nome maluco", foi especializada em Música Brasileira.

Curumba, por sua vez, chegou a residir juntamente com a família de Jair Rodrigues e chegou a participar do LP "Violeiro" (Nº 308.6022) gravado por Rolando Boldrin na RGE, LP no qual o excelente Cantador gravou as diversas faixas em Dupla com Ranchinho, Bentinho, Cascatinha, Brioso, Leili Boldrin e José Bento de Oliveira (Nhô Bento), além do próprio Curumba, que interpretou "Balagulá" (Venâncio - Curumba), juntamente com Rolando Boldrin.

Importante lembrar que os Intérpretes que cantaram juntamente com Rolando Boldrin na gravação desse disco já não contavam mais com seus companheiros de Dupla Alvarenga, Xerêm, Inhana e Brinquinho, os quais já haviam "partido para o Andar de Cima".

A Discografia deixada por Venâncio e Curumba é composta por 14 Discos 78 RPM e apenas um LP (Nº AFLP-2006), gravado em 1964 pela gravadora Áudio Fidelity. Consta também o já mencionado LP "Brasil Com S" (Nº 307.3328) gravado na Premier/RGE, no entanto, o Curumba não participou desse Disco.

E, ao que consta, lamentavelmente, nada do que foi produzido por Venâncio e Curumba como intérpretes foi remasterizado em CD, restando somente o "consolo" de belíssimas Composições do quilate de "Último Pau-De-Arara" (José Guimarães - Corumba - Venâncio) que continuam sendo gravadas por excelentes Músicos inclusive na atualidade.



Obs.: As informações contidas no texto dessa página são originárias do Livro de Ayrton Mugnaini Jr. "Enciclopédia das Músicas Sertanejas" e também dos sites Dicionario Ricardo Cravo Albin de Música Popular Brasileira, IMMUB - Instituto Memória Musical Brasileira, Fundação Joaquim Nabuco e Instituto Moreira Salles. Ver também mais detalhes e links na página Para saber mais... onde constam as Referências Bibliográficas sem as quais a elaboração desse site teria sido impossível.



Essa viagem pelo Interior Musical de Nossa Terra e Nossa Gente continua: Clique aqui e pegue o trem, que ele agora irá para a Capital Paulista e também para São José dos Campos-SP: conheça um pouquinho da mais famosa Dupla Caipira do Vale do Paraíba, também conhecida como "Os Embaixadores da Alegria", cujos integrantes se conheceram quando trabalhavam na Prefeitura Municipal de São José dos Campos-SP. Conheça um pouquinho da trajetória artística de Brinquinho e Brioso.


Ou então, se você preferir outro compositor ou intérprete, clique aqui e "pegue outro trem para outra estação", na Página-Índice dos Compositores e Intérpretes.
















Voltar ao Topo