Barreto e Barroso









Página Inicial


Para saber mais...


Página Índice dos Compositores e Intérpretes


Ouvir Música Caipira





Antônio Barreto é natural de São Sebastião da Grama-SP, onde nasceu, no dia 12/12/1924. Faleceu no dia 28/01/1998. Benedito Rodrigues Pinheiro (o Barroso), é natural de Guará-SP.

Antônio e Benedito foram os dois integrantes originais dessa excelente Dupla Caipira que, apesar da pouca duração, foi bastante representativa na História da autêntica Música de Raiz!

Antes de partir para a Carreira Musical, Antônio Barreto (foto à direita) trabalhou como Técnico de Laticínios, além de ter sido também um renomado Advogado. Barreto também trabalhou como Locutor na Rádio Bandeirantes de São Paulo-SP.

Benedito foi Professor de Artífices e também trabalhou como Locutor na mesma emissora de rádio na qual trabalhava o Barreto.


Algum tempo depois, no ano de 1946, Antônio e Benedito formaram a inesquecível Dupla, sendo que a estréia da mesma aconteceu na Rádio América, também na Capital Paulista.

A Dupla "Barreto e Barroso" gravou seu primeiro Disco 78 RPM (TA-5002), pela gravadora Todamérica, no dia 18/07/1950, tendo no Lado A a Moda de Viola "Besta Baia" (Barreto - Barroso) e, no Lado B, o Baião "Xuxu de Iaiá" (Antônio Barreto).

O segundo Disco 78 RPM (TA-5059) a Dupla gravou também pela Todamérica no dia 08/03/1951, tendo no Lado A a Guarânia "Noites Do Paraguai (Noches Del Paraguay)" (Pedro José Carles - Samuel Aguayo - Adaptação:. Nogueira Santos) e, no Lado B, a Canção "Paulistinha" (Nogueira Santos - Antônio Barreto).

No mesmo dia 08/03/1951 "Barreto e Barroso" gravaram o terceiro Disco 78 RPM (TA-5093), também na gravadora Todamérica, com duas Modas de Viola: no Lado A, "Uso De Hoje" (José Eloi Garcia) e, no Lado B, "Teresa do Coração" (Antônio Barreto).

E foi por essa época que a Dupla "Barreto e Barroso" passou a atuar na Rádio Mayrink Veiga, no Rio de Janeiro-RJ, que era, na época, a Capital do Brasil. Barroso também atuou durante algum tempo como Apresentador de Programas de Rádio, em Ribeirão Preto-SP.

Com essa formação original, a inesquecível Dupla gravou um total de 20 Músicas em 10 Discos 78 RPM, tendo sido 8 Discos pelo selo Todamérica, além de um Disco pelo selo Columbia e mais um Disco pelo selo Sertanejo, esse último gravado em Janeiro de 1961 (PTJ-10157), tendo no Lado A o bem humorado Cateretê "A Moda do Galo" (Laureano) e, no Lado B, a Rancheira "Me Casei Com a Mariana" (José Ferreira).

Além de autênticas Modas de Viola, Valsas e Cateretês, o Repertório da Dupla "Barreto e Barroso" foi marcado também pelo bom humor, como pode ser ouvido nas divertidíssimas interpretações da Rancheira "Me Casei Com A Mariana" (José Ferreira) e dos Cateretês "Moda do Galo" (Laureano) e "Lingüiça de Língua" (Zé Bacuráu - Barreto). Esse Cateretê, por sinal, também foi gravado por Adauto Santos, no CD "Tocador de Vida e de Viola", gravado em 1998 pela gravadora CPC-UMES, com o nome "Moda das Línguas", letra ligeiramente modificada e a Autoria indevidamente atribuída a Alvarenga e Ranchinho.

Benedito faleceu no ano de 1968. Antônio Barreto seguiu mantendo a Dupla com o mesmo nome e chegou a cantar com outros parceiros até que o Compositor, Radialista e Dublador Muíbo César Cury passou a integrar o Dueto, ocupando o lugar do Barroso, ocasião na qual a nova Dupla gravou o LP "As Duas Faces de Barreto e Barroso" (2.11.405.636), pela gravadora Chantecler, no ano de 1983 (foto da capa do LP à direita).

Esse LP contou com a participação de diversos renomados Músicos, dentre os quais, Tião do Carro e João Batista Lemos, o Escurinho, Pai de Valdir Lemos ("Escurinho Filho") que, assim como seu Pai, é Percussionista do Regional Viola Minha Viola!!!

Além de algumas Músicas inéditas, Barreto e Barroso (Muybo) regravaram alguns dos consagrados Sucessos da Dupla em sua formação original, nas 11 faixas que formaram o LP, o qual também manteve a tradição da Dupla, que era a de cantar Músicas bem humoradas e paródias, conforme já foi mencionado.

Destaque para "Paulistinha" (Antonio Barreto), "João De Barro" (Teddy Vieira - Muíbo César Cury), "Moda da Mula Preta - Paródia" (Raul Torres – Paródia: Antonio Barreto), "Receita de Coquetel" (Nhô Pai), "Felicidade" (Antonio Barreto) e "Moda do Galo" (Laureano) (a Música cujo trecho o Apreciador ouve ao acessar essa página).

Barreto (foto à direita, de autoria da Fotógrafa Iolanda Huzak, que possui catalogado um excelente Acervo em termos de Memória Musical Brasileira, em seu excelente Site!) também chegou a participar de alguns dos inesquecíveis programas apresentados pelo Rolando Boldrin.


Na foto abaixo, Barroso e o excelente "Cantadô":





Obs.: As informações contidas no texto dessa página são originárias principalmente dos Sites: Voz e Viola (desenvolvido pelo Cleber Toffoli), Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira, Recanto caipira (desenvolvido pela Sandra Cristina Peripato), IMMUB - Instituto Memória Musical Brasileira, Fundação Joaquim Nabuco e Instituto Moreira Salles.

Ver também mais detalhes e links na página Para saber mais... onde constam as Referências Bibliográficas sem as quais a elaboração desse site teria sido impossível.



Essa viagem pela Música Caipira Raiz continua: Clique aqui e pegue o trem, que ele agora irá ao encontro de uma excelente Dupla Caipira da qual pouquíssimo se conhece, apesar do enorme sucesso que eles fizeram tanto na Composição como também na Interpretação. "Moreninha Linha" (Tonico - Priminho - Maninho) é apenas um dos exemplos que merecem ser citados!!! Conheça um pouquinho da Trajetória Artística dessa inesquecível Dupla que foi Priminho e Maninho, nome importantíssimo não só na Música Caipira Raiz como também na História dos Circos no Brasi!!!


Ou então, se você preferir outro compositor ou intérprete, clique aqui e "pegue outro trem para outra estação", na Página-Índice dos Compositores e Intérpretes.















Voltar ao Topo