Barreto e Barroso









Página Inicial


Para saber mais...


Página Índice dos Compositores e Intérpretes


Ouvir Música Caipira





Antônio Barreto é natural de São Sebastião da Grama-SP, onde nasceu, no dia 12/12/1924. Faleceu no dia 28/01/1998. Benedito Rodrigues Pinheiro (o Barroso), é natural de Guará-SP.

Antônio e Benedito foram os dois integrantes originais dessa excelente Dupla Caipira que, apesar da pouca duração, foi bastante representativa na História da autêntica Música de Raiz!

Antes de partir para a Carreira Musical, Antônio Barreto (foto à direita) trabalhou como Técnico de Laticínios, além de ter sido também um renomado Advogado. Barreto também trabalhou como Locutor na Rádio Bandeirantes de São Paulo-SP.

Benedito foi Professor de Artífices e também trabalhou como Locutor na mesma emissora de rádio na qual trabalhava o Barreto.


Algum tempo depois, no ano de 1946, Antônio e Benedito formaram a inesquecível Dupla, sendo que a estréia da mesma aconteceu na Rádio América, também na Capital Paulista.

A Dupla "Barreto e Barroso" gravou seu primeiro Disco 78 RPM (TA-5002), pela gravadora Todamérica, no dia 18/07/1950, tendo no Lado A a Moda de Viola "Besta Baia" (Barreto - Barroso) e, no Lado B, o Baião "Xuxu de Iaiá" (Antônio Barreto).

O segundo Disco 78 RPM (TA-5059) a Dupla gravou também pela Todamérica no dia 08/03/1951, tendo no Lado A a Guarânia "Noites Do Paraguai (Noches Del Paraguay)" (Pedro José Carles - Samuel Aguayo - Adaptação:. Nogueira Santos) e, no Lado B, a Canção "Paulistinha" (Nogueira Santos - Antônio Barreto).

No mesmo dia 08/03/1951 "Barreto e Barroso" gravaram o terceiro Disco 78 RPM (TA-5093), também na gravadora Todamérica, com duas Modas de Viola: no Lado A, "Uso De Hoje" (José Eloi Garcia) e, no Lado B, "Teresa do Coração" (Antônio Barreto).

E foi por essa época que a Dupla "Barreto e Barroso" passou a atuar na Rádio Mayrink Veiga, no Rio de Janeiro-RJ, que era, na época, a Capital do Brasil. Barroso também atuou durante algum tempo como Apresentador de Programas de Rádio, em Ribeirão Preto-SP.

Com essa formação original, a inesquecível Dupla gravou um total de 20 Músicas em 10 Discos 78 RPM, tendo sido 8 Discos pelo selo Todamérica, além de um Disco pelo selo Columbia e mais um Disco pelo selo Sertanejo, esse último gravado em Janeiro de 1961 (PTJ-10157), tendo no Lado A o bem humorado Cateretê "A Moda do Galo" (Laureano) e, no Lado B, a Rancheira "Me Casei Com a Mariana" (José Ferreira).

Além de autênticas Modas de Viola, Valsas e Cateretês, o Repertório da Dupla "Barreto e Barroso" foi marcado também pelo bom humor, como pode ser ouvido nas divertidíssimas interpretações da Rancheira "Me Casei Com A Mariana" (José Ferreira) e dos Cateretês "Moda do Galo" (Laureano) e "Lingüiça de Língua" (Zé Bacuráu - Barreto). Esse Cateretê, por sinal, também foi gravado por Adauto Santos, no CD "Tocador de Vida e de Viola", gravado em 1998 pela gravadora CPC-UMES, com o nome "Moda das Línguas", letra ligeiramente modificada e a Autoria indevidamente atribuída a Alvarenga e Ranchinho.

Benedito faleceu no ano de 1968. Antônio Barreto seguiu mantendo a Dupla com o mesmo nome e chegou a cantar com outros parceiros até que o Compositor, Radialista e Dublador Muíbo César Cury passou a integrar o Dueto, ocupando o lugar do Barroso, ocasião na qual a nova Dupla gravou o LP "As Duas Faces de Barreto e Barroso" (2.11.405.636), pela gravadora Chantecler, no ano de 1983 (foto da capa do LP à direita).

Esse LP contou com a participação de diversos renomados Músicos, dentre os quais, Tião do Carro e João Batista Lemos, o Escurinho, Pai de Valdir Lemos ("Escurinho Filho") que, assim como seu Pai, é Percussionista do Regional Viola Minha Viola!!!

Além de algumas Músicas inéditas, Barreto e Barroso (Muybo) regravaram alguns dos consagrados Sucessos da Dupla em sua formação original, nas 11 faixas que formaram o LP, o qual também manteve a tradição da Dupla, que era a de cantar Músicas bem humoradas e paródias, conforme já foi mencionado.

Destaque para "Paulistinha" (Antonio Barreto), "João De Barro" (Teddy Vieira - Muíbo César Cury), "Moda da Mula Preta - Paródia" (Raul Torres – Paródia: Antonio Barreto), "Receita de Coquetel" (Nhô Pai), "Felicidade" (Antonio Barreto) e "Moda do Galo" (Laureano) (a Música cujo trecho o Apreciador ouve ao acessar essa página).

Barreto (foto à direita, de autoria da Fotógrafa Iolanda Huzak, que possui catalogado um excelente Acervo em termos de Memória Musical Brasileira, em seu excelente Site!) também chegou a participar de alguns dos inesquecíveis programas apresentados pelo Rolando Boldrin.


Na foto abaixo, Barroso e o excelente "Cantadô":





Obs.: As informações contidas no texto dessa página são originárias principalmente dos Sites: Voz e Viola (desenvolvido pelo Cleber Toffoli), Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira, Recanto caipira (desenvolvido pela Sandra Cristina Peripato), IMMUB - Instituto Memória Musical Brasileira, Fundação Joaquim Nabuco e Instituto Moreira Salles.

Ver também mais detalhes e links na página Para saber mais... onde constam as Referências Bibliográficas sem as quais a elaboração desse site teria sido impossível.



Essa viagem pela Música Caipira Raiz continua: Clique aqui e pegue o trem, que ele agora irá para a Capital Paulista: conheça um pouquinho desse excelente Acordeonista e Compositor que também foi fundador da Gravadora Chantecler, na qual participou da maioria das gravações como Técnico e onde também foi Produtor de Discos. Conheça um pouquinho da Trajetória Artística desse excelente Músico que foi Alberto Calçada, nome importantíssimo na Música Caipira Raiz e também na Seresta.


Ou então, se você preferir outro compositor ou intérprete, clique aqui e "pegue outro trem para outra estação", na Página-Índice dos Compositores e Intérpretes.















Voltar ao Topo