Nízio e Nézio - Os Tenores Do Sertão









Página Inicial


Para saber mais...


Página Índice dos Compositores e Intérpretes


Ouvir Música Caipira





"Antes de mais nada, quero deixar aqui, o meu abraço sincero para todos aqueles que admiram estes dois jovens, surgidos na grande floresta de cimento armado, que é a Capital de São Paulo, conquistando desde logo a admiração e a simpatia dos que cultivam a Música Sertaneja: Nízio e Nézio.

Para eles foi reservado com muito acerto, o título de
'Tenores do Sertão', devido ao conjunto sonoro e harmonioso que formam as suas vozes, dotes maravilhosos que lhes foi dado por Deus.

Falando a respeito desses dois rapazes (...), posso dizer com absoluta segurança, que alcançarão pleno sucesso em nosso meio, dadas as inúmeras qualidades que apresentam: sinceridade, coragem, honestidade, inteligência, etc.

A Nízio e Nézio, que apesar de tão jovens já se integraram nesta plêiade de Compositores e Cantores de nossa Música Sertaneja (...), reservo agora os meus cumprimentos (...) juntamente com os votos de êxito constante e cada vez maior."



(Lourival dos Santos, no prefácio do "Livreto" "Brasil Ritmos" publicado em Julho/1959 pela Editora Gráfica Souza Ltda. com diversas letras de Músicas interpretadas por Nízio e Nézio, muitas das quais ainda inéditas até então)




José Ferreira Lemos, o Nízio, nasceu em Delfinópolis-MG e começou a cantar suas Modas de Viola quando contava apenas 8 anos de idade.


Ludovico Patrinhani, o Nézio, nasceu em Lençóis Paulista-SP no dia 24/03/1934 e, antes de conhecer o Nízio, formou juntamente com Joel Antunes Leme a dupla "Matinho e Matão", a qual chegou a se apresentar na Rádio Clube de Santo André-SP.


Pouco tempo depois a dupla "Matinho e Matão" se desfez, ocasião na qual o "Matinho" formou a célebre dupla com Valdomiro de Oliveira, mudando seu nome artístico para Pedro Bento (desnecessário dizer que o Valdomiro é o Zé da Estrada e que essa é a famosíssima dupla conhecida carinhosamente como Os Amantes Das Rancheiras!)

Ludovico deixou de ser o "Matão", tendo adotado o nome artístico de "Nézio" e, por sugestão de Zé Capoeira do "Trio Paulistano", formou com José Ferreira a dupla "Nízio e Nézio". Era o ano de 1956. Importante lembrar que Joel Antunes Leme também integrava o "Trio Paulistano" antes de formar com Ludovico a dupla "Matinho e Matão" e com Valdomiro de Oliveira a dupla Pedro Bento e Zé da Estrada.

José Ferreira já havia escolhido antes o pseudônimo de "Nízio" e já vinha sendo considerado como excelente Compositor. Suas Músicas já vinham sendo gravadas por excelentes duplas do quilate de Nenete e Dorinho, Primas Miranda, Zico e Zeca, Liu e Léu e "Priminho e Maninho", apenas para citar algumas. Dentre suas belíssimas Composições podemos destacar "Aliança Contrariada" (Nízio - Lourival dos Santos), "Flor do Campo" (Nízio - Nenete), "Sou Demais Em Teu Caminho" (Lourival dos Santos - Nízio), "Tempo de Criança" (Nízio - Nestor), além da belíssima "Rainha do Paraná" (Nízio), gravada por Liu e Léu e também (em Solo de Viola) pelo Nestor da Viola.

A estréia de "Nízio e Nézio" como dupla aconteceu no Programa do Trio Paulistano na Rádio Difusora de São Paulo-SP.

E, no ano de 1958, a dupla gravou seu primeiro Disco 78 RPM na Columbia, com a Toada "Aquela Carta" (Serrinha - Nízio) e o Cateretê "Amor de Estudante" (Nízio - Moacyr dos Santos). A indicação para essa gravação partiu do célebre Compositor Serrinha, que os observava quando eles se apresentavam como convidados do já mencionado Programa do Trio Paulistano na Difusora.

Algum tempo depois, Nízio e Nézio trocaram a Difusora pela Rádio Bandeirantes, onde receberam apoio do Capitão Barduíno, do Comendador Biguá e do Zacarias Mourão.

De acordo com a inesquecível Revista Sertaneja, a qual circulou em São Paulo-SP entre Março/1958 e Dezembro/1959, publicada pela Editora Prelúdio Ltda., Nízio e Nézio "Com pouco mais de dois anos e meio de Rádio já fizeram quase cem excursões vitoriosas por todo o Interior (...) Excursionam incansavelmente e, aos poucos, seus nomes vão sendo repetidos e aplaudidos por quantos apreciam a Música Sertaneja..."

E, ainda de acordo com a Revista Sertaneja, "Nízio e Nézio conquanto formem um duo relativamente novo, podem orgulhar-se do renome que já possuem. E é bem possível que o sucesso que vêm alcançando seja conseqüência do bom gosto que possuem na escolha do repertório, um dos melhores das Duplas Sertanejas da Nova Geração..."

A foto acima à direita, por sinal, é da contra-capa da Revista Sertaneja - Ano II - N° 20 - Dezembro/1959 a qual pode ser vista no excelente Site de Paulo Roberto Moura Castro dedicado à dupla Tonico e Tinoco.

Consta que a dupla Nízio e Nézio tenha gravado um total de 16 Músicas em 8 Discos 78 RPM pelos selos Colúmbia, Todamérica, RGE, Caboclo e Continental, com destaque para as belíssimas interpretações de "Senhora Aparecida" (Sebastião Victor - Moreno), "Os Degraus da Fama" (Lourival dos Santos - Biguá), "Vamos Fazer a Colheita" (Ramon Cariz - Sebastião Victor), "Amor de Estudante" (Nízio - Moacyr dos Santos), "Paixão de Carreiro" (Lourival dos Santos - Ado Benatti) e "Serrana" (Nízio - Lourival dos Santos), que é a Música, cujo trecho o Apreciador ouve ao acessar essa página.

Apesar do crescente sucesso, a dupla Nízio e Nézio, por motivos particulares, se desfez no início da Década de 1960.

Nízio formou então com Antônio Francisco (o Nestor da Viola) a dupla "Nízio e Nestor", dupla essa que também durou pouco e se desfez repentinamente em 1966, com o falecimento do Nízio.

Nézio, por sua vez, formou por curto período uma dupla com Amado Jacob que, pouquíssimo tempo depois, formou a famosíssima dupla com seu irmão Antônio Jacob: a dupla Jacó e Jacozinho.

E Nézio formou com outro companheiro a dupla "Nézio e Genésio" que lançou na gravadora Monterrey um Compacto Simples com as Músicas "Não Chores Por Mim" (Genésio - Caçula) e "Volte Meu Amor" (Genésio - José Silva). No entanto, Nézio também, por motivos particulares, deixou a Carreira de Violeiro, enquanto Genésio, com outro companheiro, formou "outra dupla", também chamada "Nésio e Genésio" que, apesar da mesma pronúncia, grafava o nome com "S", e gravou um único disco que foi um Compacto Duplo com as Músicas "Amor Proibido" (Ramoncito Gomes), "Se Tu Voltares" (Genésio - João Ventura), "Coração de Pedra" (Genésio - B. Linhares) e "Sem Teus Carinhos" (Nésio - Genésio). Esse compacto duplo, portanto, não teve a participação do Nézio aqui homenageado, apesar da dupla ter usado seu nome artístico, diferindo apenas na grafia com "S".

Nézio reside atualmente em Curitiba-PR e, após um contato inicial feito pelo Pedro Bento, os Radialistas Maikel Monteiro e José Francisco passaram a resgatar a Memória Musical da dupla Nízio e Nézio, homenageando o Nézio no programa "Brasil Caboclo" que foi ao ar no dia 11/02/2007 e, posteriormente, reunindo algumas informações disponíveis na Revista Sertaneja e também no "Livreto" "Brasil Ritmos", além de entrevistas com o próprio Nézio! E, dessa forma, foi possível fazer esse resumo biográfico. Esse excelente programa que é o "Brasil Caboclo" vai ao ar todos os Domingos às 07:00 da manhã pelos 630 kHz - AM - da Rádio Paraná Educativa (e-Paraná) de Curitiba-PR.

Na foto abaixo, Nézio na Chácara Tapera Velha do Ary Andreatta no dia 21/10/2007:



Na foto abaixo, da esquerda prá direita, Maikel Monteiro, Ricardinho, Ary Andreatta e Nézio na Chácara Tapera Velha em Quatro Barras-PR no dia 21/10/2007:



Na foto abaixo (feita por minha Esposa, a Netinha), Nézio afina a Viola para uma apresentação bastante descontraída na Chácara Tapera Velha do Ary Andreatta, no dia 21/10/2007:



Na foto abaixo, Nézio, com seu Violão, solta sua belíssima voz, com seus 73 anos de idade, num momento descontraído na Chácara Tapera Velha do Ary Andreatta no dia 21/10/2007:



Na foto abaixo, Nézio, Ricardinho e José Francisco na Chácara Tapera Velha do Ary Andreatta no dia 21/10/2007:



Na foto abaixo, Nézio, Netinha (minha Esposa) e Ricardinho na Chácara Tapera Velha do Ary Andreatta no dia 21/10/2007:



Na foto abaixo, da esquerda prá direita, Ary Andreatta, Nézio e Ricardinho na Chácara Tapera Velha do Ary Andreatta no dia 21/10/2007:



E, na foto abaixo, Nézio e Ricardinho na residência onde Nézio reside com a Família em Curitiba-PR, no dia 23/10/2007, quando esse resumo biográfico estava sendo preparado:




Voltei a me encontrar com o Nézio no dia 17/10/2009, na Livraria Acervo em Curitiba-PR:

Na foto abaixo, da esquerda prá direita, Ricardinho, Nézio, o Dr. Afonso Celso Barreiros e o Radialista José Francisco, na Livraria Acervo, em Curitiba-PR, no dia 17/10/2009. O Dr. Afonso Barreiros é considerado o "Guardião da Fonte", pois, num trabalho voluntário, ele mantém sempre atenção à conservação do monumento que homenageia a inesquecível Dupla Nhô Belarmino e Nhá Gabriela, comunicando de imediato os setores responsáveis, em caso de qualquer problema e/ou irregularidade!




Na foto abaixo, da esquerda prá direita, em segundo plano, Ricardinho, o Radialista e Pesquisador Maikel Monteiro, Nézio e, em primeiro plano, a jovem Dupla Caipira "Edson e Alisson", de Chapecó-SC, na Livraria Acervo, em Curitiba-PR, no mesmo dia 17/10/2009.




Voltei a me encontrar com o Nézio no dia 08/01/2012 em Quatro Barras-PR, na Chácara Tapera Velha do "Cumpadre" Ary Andreatta, no dia 21/10/2007:






Na foto abaixo, Nézio, ladeado pela excelente Dupla "Robson e Wagner" que, com apoio do "Cumpadre" Maikel Monteiro, vem realizando um excelente trabalho de Resgate da Memória Musical Caipira Raiz em Curitiba-PR:




Na foto abaixo, da esquerda prá direita, "Robson e Vagner", numa agradável Cantoria na Chácara Tapera Velha, em Quatro Barras-PR, no dia 08/01/2012, sendo apreciados pelos "Cumpadres" Ary Andreatta (em pé, camisa cinza azulado), Maikel Monteiro (sentado, camisa verde e branco), José Francisco da Silva (em pé, camisa branca, batendo foto), Nézio (sentado, de costas, camisa branca) e Ricardinho (ao fundo, camisa azul xadrez):




Na foto abaixo (de autoria de minha Esposa, a Netinha), da esquerda prá direita, os "Cumpadres" Ary Andreatta, José Francisco, Nézio, Maikel Monteiro e Ricardinho, na Chácara Tapera Velha, no dia 08/01/2012:




E, na foto abaixo, em primeiro plano, Maikel Monteiro; em segundo plano, da esquerda prá direita, Robson, Ricardinho, Wagner, Zé Francisco, Nézio e Ary Andreatta, na mesma tarde descontraída de 08/01/2012, na Chácara Tapera Velha:




Clique aqui, veja e ouça "Rainha do Paraná" (Nízio) interpretada pelo Nézio (Voz e Violão), acompanhado por Wagner Teles (Viola Caipira), num Vídeo Musical disponibilizado no YouTube pelo Robinho Viola! Robinho e Wagner Teles formam a excelente Dupla "Robson e Wagner" que, juntamente com o "Cumpadre" Maikel Monteiro, vem realizando um excelente trabalho de Resgate da Memória Musical Caipira Raiz em Curitiba-PR, conforme mencionado logo acima. Essa gravação se deu na Chácara Tapera Velha do "Cumpadre" Ary Andreatta, na mesma tarde descontraída de 08/01/2012!


Clique aqui e adquira, diretamente com Paulo Patrinhani, que é filho de Nézio, o CD de "Nízio e Nézio", com preciosíssimas gravações históricas oriundas dos Discos 78 RPM gravados pela inesquecível Dupla!


Clique aqui e conheça o Site Oficial de Nézio, com fotos, biografia, eventos, discografia e vídeos musicais desse inesquecível Intérprete! Site elaborado pelo seu filho Paulo Patrinhani.



Obs.: As informações contidas no texto dessa página são originárias do site Dicionario Ricardo Cravo Albin de Música Popular Brasileira, da inesquecível Revista Sertaneja, e também do "Livreto" "Brasil Ritmos", além de entrevistas com o próprio Nézio e da preciosíssima colaboração dos Radialistas José Francisco e Maikel Monteiro (com Ricardinho, na foto à esquerda) que produzem e apresentam o programa "Brasil Caboclo" que vai ao ar aos Domingos às 07:00 da manhã pela Rádio Paraná Educativa (e-Paraná) de Curitiba-PR (AM 630 kHz), e que conhecem a fundo a trajetória de diversas excelentes Duplas Caipira Raiz, e que, conforme já foi mencionado, ajudaram de maneira bastante significativa no Resgate da Memória Musical dessa excelente Dupla Caipira Raiz que foi Nízio e Nézio!!

Muito obrigado, mais uma vez, "Cumpadres" Maikel e José Francisco!!

Ver também mais detalhes e links na página Para saber mais... onde constam as Referências Bibliográficas sem as quais a elaboração desse site teria sido impossível.



Essa viagem pela Música Caipira Raiz continua: Clique aqui e pegue o trem, que ele agora irá para Porto Feliz-SP e Botucatu-SP: conheça essa dupla que, além de cantar no autêntico Estilo Caipira Raiz, realizou também o "casamento harmonioso" da Música Caipira Brasileira com a Música Folclórica Mexicana! Conheça um pouquinho sobre "Os Amantes das Rancheiras", que têm quase 50 anos de carreira e continuam em plena atividade: Pedro Bento e Zé da Estrada.


Ou então, se você preferir outro compositor ou intérprete, clique aqui e "pegue outro trem para outra estação", na Página-Índice dos Compositores e Intérpretes.
















Voltar ao Topo