Carlos Cezar e Cristiano









Página Inicial


Para saber mais...


Página Índice dos Compositores e Intérpretes


Ouvir Música Caipira





"Como Música não tem fronteiras, as divisas impostas foram retiradas por essa maravilhosa Dupla, que veio para ficar, renovando o que tem direito, com grande conhecimento de causa."

(José Fortuna - parceiro de Carlos Cezar na composição e "padrinho" da dupla)

João Dorácio, o Carlos Cezar, nasceu na beira do Rio Araguaia no dia 02/06/1942 e o parto foi feito pelo seu próprio pai, o Sr. Avelino. O registro foi feito no dia 08/08/1942 em Pradópolis-SP. Faleceu em Mogi Guaçu-SP no dia 06/05/2002, vítima de insuficiência renal.

Antonio Caires Dourado, o Cristiano, nasceu no dia 24/11/1955 em Piacatu-SP.

Quanto à formação da Dupla, tudo começou numa reunião de amigos, com Cristiano fazendo a Primeira Voz, e a Segunda Voz, a cargo de Carlos Cezar e, em dado momento, espontaneamente, eles inverteram os papéis, dentro da mesma música, sem interrupção! Um "entendimento perfeito", sem combinação prévia, intuitivo, por assim dizer! Tal entrosamento animou Carlos Cezar e Cristiano a formar a Dupla!

Ambos já lutavam bastante por uma Carreira Artística: Carlos Cezar como Cantor, Compositor, Letrista, Instrumentista e Produtor, com brilhantes participações em festivais diversos, tanto na MPB como também na Música Sertaneja. Carlos Cezar conseguia compor com incrível facilidade, chegando inclusive a musicar os versos ao mesmo tempo em que lia a letra da música.

Juntamente com José Fortuna, Carlos Cezar (ambos na foto à esquerda) compôs mais de uma centena de belíssimas páginas, gravadas por diversos excelentes intérpretes do quilate de Sérgio Reis, Tião Carreiro e Paraíso, Chitãozinho e Xororó e Duo Ciriema, apenas para citar alguns.

A consagração de Carlos Cezar como compositor e parceiro de José Fortuna aconteceu por ocasião do II Festival Record (em 1979, apresentado por Geraldo Meirelles), no qual os dois compositores conquistaram três primeiros lugares, com todos os méritos!!

"Riozinho" (José Fortuna - Carlos Cezar) foi defendida pelas Irmãs Galvão, com o próprio Carlos Cezar acompanhando-as com o Violão, e conquistou o Primeiro Lugar, tendo sido considerada como sendo a Melhor Letra, dentre mais de 13.000 concorrentes!

"Berrante de Ouro" (José Fortuna - Carlos Cezar) foi a Segunda Colocada e também arrebatou o prêmio de Melhor Melodia, tendo sido defendida por "Josemar e Joselito", juntamente com José Fortuna, Carlos Cezar e Pitangueira!

E "Brasil Viola" (José Fortuna - Carlos Cezar) contou com a belíssima interpretação a cargo do Duo Ciriema, mais um excelente grupo de Catireiros, e conquistou o Terceiro Lugar, além do prêmio de Melhor Interpretação!!

Ainda naquele ano, a Secretaria do Trabalho do Estado de São Paulo oficializou a composição feita também em parceria com José Fortuna, "Hino do Trabalhador Brasileiro" (Carlos Cezar - José Fortuna).

Dois anos depois, em 1981, Carlos Cezar e José Fortuna voltaram a conquistar o primeiro lugar no mesmo Festival com a composição "O Vai e Vem do Carreiro" (Carlos Cezar - José Fortuna) (que foi gravada por Sérgio Reis e também por Carlos Cezar e Cristiano).

Além das já citadas, merecem destaques outras belíssimas composições dessa excelente parceria de Carlos Cezar com José Fortuna, (foto à esquerda) como por exemplo "A Porteira" (José Fortuna - Carlos Cezar - O. Bettio), "A Vaquinha" (Carlos Cezar - José Fortuna - Oswaldo Bettio), "Caixinha De Ciúmes" (José Fortuna - Carlos Cezar), "Carga Pesada" (Carlos Cezar - José Fortuna), "Expresso Boiadeiro" (Carlos Cezar - José Fortuna), "Geração de Boiadeiro" (José Fortuna - Carlos Cezar), "Lágrimas" (José Fortuna - Carlos Cezar), "Manhã Sem Aurora" (José Fortuna - Carlos Cezar), "Moça Caminhoneira" (José Fortuna - Carlos Cezar), "Moça Do Carro De Boi" (José Fortuna - Carlos Cezar) (a música cujo trecho o Apreciador ouve ao acessar essa página), "Terra Tombada" (Carlos Cezar - José Fortuna), "Vento Violeiro" (José Fortuna - Carlos Cezar), "24 Horas de Amor" (Carlos Cezar - José Fortuna).

O jovem Cristiano, por outro lado, com sua voz excepcional e vibrante, além de bastante sensibilidade, também desenvolveu de forma brilhante a arte da Oratória. E, segundo alguns Apreciadores, parecia que ele se transportava para Outras Esferas quando cantava!

Desiludido, após tantas diferentes tentativas, já quase desistindo de tudo, Cristiano acabou "tendo a intuição" de procurar por Carlos Cezar, que já vinha se tornando famoso por suas já bastante requisitadas composições, inclusive em parceria com José Fortuna, que, por sinal, também foi um grande incentivador e "padrinho" da nova dupla que se formava, após ter testemunhado o maravilhoso entrosamento musical de ambos!

E a dupla também combinava uma completa ausência de vícios, não precisando recorrer ao "excesso de álcool" para a busca da inspiração...

Ambos de origem urbana, utilizavam a voz ao natural, sem forçar sotaques nem dialetos (achavam desnecessário os "nóis vai, nóis vem", tão descabidos na Música Sertaneja do início da década de 1980). Em diversas interpretações podemos também ouvir um belíssimo "vibratto" a cargo do Cristiano, em sua belíssima voz, perfeitamente harmonizada com a voz do Carlos Cezar!

A dupla chegou a ser conhecida na época como "A Nova Maravilha Sertaneja", com o modo de interpretar, a instrumentação, o repertório e o visual bastante originais e inovadores, sem no entanto ferir o Velho Estilo Caipira Raiz. Carlos Cezar e Cristiano atraíam uma média de 15.000 pessoas em suas diversas apresentações ao ar livre, nas diversas cidades por onde passavam.


Em termos de inovação musical, é interessante lembrar que ao final da década de 1970 e início da década de 1980, já eram conhecidas as versões interpretadas por Pedro Bento e Zé da Estrada, Belmonte e Amaraí e Tibagi e Miltinho, além da "revolução no visual" que havia sido lançada pelas duplas Léo Canhoto e Robertinho e Milionário e José Rico.


Além de composições próprias (principalmente da brilhante parceria com José Fortuna), Carlos Cezar e Cristiano também gravaram diversas versões de músicas originalmente nos idiomas Inglês e Espanhol. E, nesse caso, faziam questão de cantar alguns trechos das músicas em Espanhol, pois consideravam que o grande público não estava sendo enganado: sabia que ouvia de fato uma versão! E, diferentemente de diversos "pop-sertanejos" que vieram depois, Carlos Cezar e Cristiano também deram um outro significado às músicas Country ("Sertanejo Norte-Americano"), das quais também gravaram algumas versões.

No início da década de 1980, antes mesmo de gravar o primeiro disco, a dupla já havia conquistado um enorme sucesso, de modo que haviam feito um contrato com o Governo do Estado de São Paulo (até 1982), pelo qual percorreram o Interior Paulista em caravanas diversas, nas quais eram bastante aplaudidos. Em Novo Horizonte-SP, por exemplo, a tourneé se prolongou por quase uma semana!

Quero destacar o CD "Dose Dupla - Carlos Cezar e Cristiano" (Warner Music), que contém a reedição em CD dos dois LP's gravados pela dupla na Chantecler em 1983 e 1985. Por problemas de cronometragem uma das faixas dos LP's não consta no CD ("Ella" (Felipe Valdez Leal - versão: Carlos Cezar) a 12ª Faixa do Primeiro LP). Mesmo assim, o Apreciador pode ouvir excelentes interpretações de 21 belíssimas composições, dentre as quais, "Berrante de Ouro" (José Fortuna - Carlos Cezar), "O Vai e Vem do Carreiro" (Carlos Cezar - José Fortuna), "Pássaro Tiuí" (Pitanguá - Carlos Cezar - Paulo Roberto Ayello), "Caminheiro" (Jack), "Retalhos de Amor" (José Fortuna), "Os Cowboys Andarilhos" (Carlos Cezar - Paulo Lobo), "Boiadeiro Errante" (Teddy Vieira), além das versões de "Tu Solo Tu" (José Alfredo Gimenes - vers.: Carlos Cezar) e "O Homem e a Natureza" (Five Hundred Miles) (Hedy West - José Fortuna), apenas para citar algumas.

Quero também destacar o CD "Carlos Cezar e Cristiano - Vai e Vem do Carreiro" (Warner Music), que é uma coletânea de 14 músicas de LP's gravados pela dupla na Chantecler em 1983, 1984, 1985 e 1988, com destaque para "Moça Caminhoneira" (Carlos Cezar - José Fortuna), "Os Três Boiadeiros" (Anacleto Rosas Jr.), "Amargurado" (Tião Carreiro - Dino Franco) e "Expresso Boiadeiro" (Carlos Cezar - José Fortuna), apenas para citar algumas.

Quero destacar também o CD (lançado originalmente em LP no ano de 1989 pela RGE (hoje Som Livre) - o sétimo e último LP da Dupla), com belíssimas interpretações de 10 músicas em diversos estilos, dentre as quais, a já mencionada "Moça do Carro de Boi" (Carlos Cezar - José Fortuna) ("aboio" na voz de Marlene Fortuna, filha de José Fortuna), "A Volta do Boiadeiro" (Sulino - Teddy Vieira), além das versões de "Eu Vendo Dois Olhos Negros" (Yo Vendo Unos Ojos Negros) (D. P. - arranjos: Carlos Cezar - Tom Gomes), "O Menino da Gaita" (El Chico De La Armonica) (Fernando Arbex - versão: Sérgio Reis), "Vaya Con Dios" (Larry Russel - Inez James - Buddy Peper - versão: Pedro I. Gamboa), além da belíssima "Lua e Flor" (Oswaldo Montenegro) que fazia bastante sucesso na época, tendo sido tema da novela "O Salvador da Pátria" (Sassá Mutema) da Rede Globo, com a excelente participação de Lima Duarte no Papel Principal!

Após 1989, porém, pouco se sabe sobre essa dupla tão harmoniosa e original e de tão pouca duração, mas que ajudou a fazer a História da Música Caipira.

O último show de Carlos Cezar e Cristiano foi no dia 06/04/2002 na cidade de Mogi Guaçu-SP, na "Expo-Guaçu", numa noite inesquecível na qual a dupla dividiu o palco com Daniel.

Carlos Cezar faleceu em Mogi Guaçu-SP no dia 06/05/2002 (exatamente um mês após sua última apresentação), vítima de insuficiência renal. E Cristiano ficou ausente do Mundo Musical, durante 4 anos, após o período de atividade da excelente Dupla com o Carlos Cezar.

Em 2006 o Cristiano acrescentou o sobrenome Cesar, homenageando o antigo companheiro da dupla (apesar de escrever com "S", e não com "Z"), e lançou seu primeiro CD-solo, intitulado Trem Ajeitado, na gravadora Atração Fonográfica. Além de algumas composições próprias (inclusive no estilo "pop-sertanejo"), o CD contém dois antigos sucessos da dupla que são "Moça Caminhoneira" (Carlos Cezar - José Fortuna) e "O Vai E Vem Do Carreiro" (Carlos Cezar - José Fortuna). Quero destacar a 12ª. faixa que "fecha o CD com chave de ouro" que é "Carreiro Vai E Saudade Vem" (Cristiano Cesar) que é um verdadeiro poema que, apesar de não mencionar o nome, é uma belíssima homenagem ao finado Carlos Cezar.

De acordo com o Cristiano, "O Carlão foi uma pessoa especial com quem aprendi muito e que marcou minha vida". Para ele, "O Vai E Vem Do Carreiro" (Carlos Cezar - José Fortuna) foi a Música que projetou a dupla e é com certeza a mais conhecida do seu repertório. No refrão de "Carreiro Vai E Saudade Vem" (Cristiano Cesar), Cristiano homenageia o parceiro que já se foi:

"Carreiro vai, saudade vem,
É a solidão dentro do peito, batendo em mim,
Carreiro vai, saudade vem,
Ida sem volta de uma viagem que não tem fim..."


Conheça mais detalhes sobre a Carreira-Solo de Cristiano no Portal Mogi Guaçu, num artigo publicado em 18/09/2006 intitulado Música - Cristiano César inicia Carreira-Solo.


Contato para shows:

e-mail: [email protected].



Em Dezembro de 2007 a Academia Guaçuana de Letras homenageou Carlos Cezar, no evento que se realizou no auditório Professor Geraldo Ferreira Gonçalves, na cidade de Mogi Guaçu-SP, evento esse que contou com a participação de sua Esposa Virgina Keer (também Compositora) e de sua filha Tammy César. Nessa homenagem, o Acadêmico Capitão Mauro Martins dos Santos fez um pronunciamento sobre a marcante passagem do Poeta Sertanejo pela Academia e o Acadêmico Maestro Barzon conduziu o Coral Familiar na interpretação da sua belíssima Música "Terra Tombada" (Carlos Cezar - José Fortuna).







E, como o Apreciador pode perceber, a excelente dupla "Carlos Cezar e Cristiano" merece estar entre os passageiros "embarcados nesse trem". Trata-se de uma excelente Dupla Caipira. No entanto, com todas as pesquisas que venho fazendo, pouquíssimo material encontrei sobre "Carlos Cezar e Cristiano", tanto na Internet, como também nas diversas revistas e livros que consultei.

Quero aqui convidar o Apreciador a participar desse site, enviando informações adicionais tais como o nome completo dos integrantes da dupla, data e local de nascimento, data e local de falecimento (no caso de Carlos Cezar), fotos, "escaneios" de capas de discos e biografias, informações que são de fundamental importância para um bom resumo biográfico.

Qualquer informação ou qualquer material útil podem ser enviados para o e-mail


[email protected].

O nome do(s) colaborador(es) e também dos respectivos sites (se for o caso) serão mencionados nessa página dedicada à dupla "Carlos Cezar e Cristiano".

Ricardinho, o criador desse site, agradece antecipadamente a quem puder enviar qualquer material que possa ser útil para imortalizar a dupla "Carlos Cezar e Cristiano"!



Quero aqui agradecer pela preciosíssima colaboração que foi enviada pelo Radialista, Produtor e Pesquisador Maikel Monteiro (com Ricardinho, na foto à esquerda) que, ao lado de seu grande Amigo José Francisco da Silva - Embaixador Caipira, produz e apresenta o excelente Programa Brasil Caboclo que vai ao ar aos Domingos às 07:00 da manhã pela Rádio Paraná Educativa (e-Paraná) de Curitiba-PR (AM 630 kHz), e que conhece a fundo a Trajetória Musical de diversos excelentes Intérpretes da Música Caipira Raiz, tais como as Irmãs Galvão, Tonico e Tinoco, Nhô Belarmino e Nhá Gabriela, Tuta e Tota, Jacó e Jacozinho, Leôncio e Leonel, Abel e Caim, Mineiro e Manduzinho, Luizinho, Limeira e Zezinha, Pininha e Verinha e Mogiano e Mogianinho, apenas para citar alguns!!!

O "Cumpadre" Maikel Monteiro é um excelente colaborador desse site e também me forneceu algumas fotos e preciosíssimas informações sobre a Dupla "Carlos Cezar e Cristiano", oriundas da inesquecível Revista "Moda e Viola" (Editora Cruzeiro Ltda), além do esclarecimento de dúvidas que ocorreram durante a elaboração desse resumo biográfico!

E, além disso tudo, o resumo biográfico das Primas Miranda e das Duplas Mensageiro e Mexicano e Nízio e Nézio, foi fornecido na íntegra por Maikel Monteiro!

Muito Obrigado, mais uma vez, "Cumpadres" Maikel e Zé Francisco!!! Parabéns por esse gesto que enriquece e ajuda cada vez mais e de forma brilhante a Preservação da Memória Musical Brasileira!!

Quero também agradecer à Nathália Caires, Filha do Cristiano, e também aos irmãos Wagner Mello e Agnaldo, sobrinhos de Carlos Cezar, que enviaram informações adicionais, tais como data e local de nascimento e também algumas fotos dos integrantes da Dupla!

Quero deixar também o meu Muito Obrigado à Suzan, que enviou o artigo sobre a Homenagem ao Carlos Cezar feita pela Academia Guaçuana de Letras.

Quero também agradecer ao Professor Laerte de Indaiatuba-SP, que é primo de Carlos Cezar, além de parceiro em algumas Composições, e que também forneceu informações importantes para esse resumo biográfico.

Muito obrigado, Nathália, Wagner, Agnaldo, Suzan, Professor Laerte e "Cumpadre" Maikel por esse gesto que ajuda a enriquecer cada vez mais a Memória Musical Brasileira!!





Essa viagem pela Música Caipira Raiz continua: Clique aqui e pegue o trem, que ele agora irá viajar pelo Litoral e pelo Interior dos Estados de São Paulo e Paraná: conheça um pouquinho desse Caipira Universitário e Autêntico nascido em Santos-SP e criado no Interior do Paraná e também em Taubaté-SP, formado em Engenharia no ITA, que é Renato Teixeira.


Ou então, se você preferir outro compositor ou intérprete, clique aqui e "pegue outro trem para outra estação", na Página-Índice dos Compositores e Intérpretes.
















Voltar ao Topo