Tonico e Tinoco - A Dupla "Coração do Brasil"









Página Inicial


Para saber mais...


Página Índice dos Compositores e Intérpretes


Ouvir Música Caipira





"O mesmo chão que dá vida para a natureza, também sustenta o concreto, unindo num só abraço todas as maravilhas que Deus criou, e todas as maravilhas que Deus nos permitiu criar. Do chão nasce a árvore que nos dá o fruto, o alimento da nossa vida e também a madeira, de que entre tantos objetos também se faz a Viola. Do chão brota o minério, que levado para a fundição se transforma em cordas de aço, em que o Violeiro entoa suas mágoas em noites enluaradas. Do chão de Pratânia-SP nasceu um simples filho de lavrador, que como tudo que é predestinado por Deus dá belos frutos. Quis o Criador, que eu, José Pérez, filho de Pratânia-SP, juntamente com meu irmão, enraizasse na Cultura Brasileira, a mais pura expressão popular, a Música Sertaneja. Então, só podemos concluir, que o cháo é o próprio coração de Deus, que ficou aqui na Terra."

(Tinoco, em discurso proferido em 12/12/1997, quando recebeu o Título de Cidadão Pratiano, homenagem do povo de sua verdadeira terra-natal - discurso esse transcrito na página 63 do livro "Tinoco - Um Herói Do Sertão" - Gildo Sanches - Gráfica e Editora Pérez).

Filhos de Maria do Carmo (Brasileira - neta de escravos) e Salvador Pérez (Espanhol de León - Astúrias- havia imigrado em 1892), João Salvador Pérez, o Tonico (02/03/1917-13/08/1994) nasceu numa fazenda em São Manuel-SP e José Pérez, o Tinoco (19/11/1920) nasceu numa fazenda do Arraial de Guarantã em Pratânia-SP, município recém-emancipado (1993), localidade que na época era distrito de Botucatu-SP.

Podemos dizer que Cornélio Pires, através dos Primeiros Discos de Música Caipira, a partir de 1929, já havia começado a exercer influência no gosto musical da futura Dupla Coração do Brasil, ocasião na qual a Família Pérez trabalhava na Fazenda Tavares em Botucatu-SP.

Tonico freqüentava a escola rural e dava lições para colonos mais velhos, que lhe pagavam com frutas, rapaduras, melado e dinheiro. Dos amigos cobrava um litro de querosene por mês (para manter os lampiões da sala de aula), mas dificilmente recebia alguma ajuda.

Tinoco era “mais levado” e gostava de caçar passarinhos com arapucas (apesar de que depois soltava os pobres bichinhos...). Brincava com amigos do arraial e aos Sábados vestia-se de "coroinha" e ajudava na Missa. Também acompanhava o Padre nas refeições e, de volta para casa, levava comida pros irmãos.

Algum tempo depois, os Irmãos Pérez compraram uma Viola feita a canivete (após conseguir, com muita dificuldade, economizar 10 Mil-Réis) e passaram a cantar em dupla, formando conjunto nos "arrastapés" e serenatas.

“Tristeza do Jeca” ( Angelino de Oliveira) foi a primeira música que aprenderam. Em 15 de agosto de 1935 fizeram a primeira apresentação profissional, cantando na Festa do distrito de “Aparecidinha” em São Manuel, num bar atrás da quermesse. Juntamente com o primo Miguel, formavam o "Trio da Roça".

Em 1938, quando Tonico e Tinoco tinham respectivamente 21 e 18 anos, a família foi trabalhar na pedreira Santa Helena, em Sorocaba-SP e, algum tempo depois, seguiu para a Fazenda São João de Sintra, em São Manuel-SP, onde encontraram o primeiro incentivo com José Augusto de Barros, administrador da propriedade. Por seu intermédio, foram à Rádio Clube de São Manuel e, após a apresentação inicial, foram convidados para cantar na emissora aos domingos, apesar de que era sem remuneração...

Pouco tempo depois, foram para a Capital Paulista e instalaram-se na Moóca. João trabalhou como office-boy, e José como servente de pedreiro e, mais tarde como metalúrgico. Em 1943, juntamente com o primo Miguel Pérez, inscreveram-se no programa de calouros comandado por Chico Carretel (Durvalino Peluzo), na Rádio Emissora de Piratininga, mas o sucesso esperado não veio ainda dessa vez.

O Capitão Furtado que estava sem violeiro em seu programa “Arraial da Curva Torta”, na Rádio Difusora (a dupla Palmeira e Piraci havia ido para o Rio de Janeiro a convite da Rádio Nacional), promoveu então um concurso para preencher a vaga: Tonico e Tinoco, juntamente com seu primo Miguel, candidataram-se com o nome provisório de “Trio da Roça”, e cantaram o cateretê "Tudo Tem No Sertão" (Tonico). Classificados para a final, interpretaram "Adeus, Campina da Serra” ( Raul Torres - Cornélio Pires) e conquistaram o primeiro lugar.

Conforme já mencionei, foi o sobrinho de Cornélio Pires, Ariowaldo Pires, o Capitão Furtado que sugeriu à dupla, em 1944 o nome "Tonico e Tinoco": Um dia, durante um ensaio do programa "Arraial da Curva Torta" (os Irmãos Pérez já haviam conquistado o primeiro lugar no concurso de novos violeiros mencionado acima), o Capitão Furtado que apresentava o programa e era também um grande divulgador da Música Sertaneja, havia dito que "uma dupla tão original, com vozes gêmeas, não poderia ter nome espanhol"; "Batizou", na hora, os Irmãos Pérez com o nome de "Tonico e Tinoco".

A dupla estreou em disco, na Continental, pouco tempo depois, em 1944, com o caterete "Em Vez De Me Agradecê" ( Capitão Furtado - Jaime Martins - Aimoré)". Aprenderam a música no mesmo dia e, na semana seguinte, foram gravar o disco 78 RPM. Ensaiaram no estúdio com Orlando Silveira na sanfona. E receberam a seguinte orientação de Ernani Dantas, diretor da Continental: "Tem um só microfone: vocês cantam e, ao terminarem os versos, saem para o conjunto poder entrar". O conjunto era formado por Piraci e Tonico no Violão, Tinoco na Viola, e Xixa no Cavaquinho. Ernani alertou, ainda, que “não poderiam errar”, pois, se isso ocorresse, estragaria a matriz de cera, impossibilitando a gravação.

Quando acendeu a luzinha vermelha, soltaram a voz em Lá Maior, do jeito com que eram acostumados a cantar nos tablados improvisados no interior ("na beira da tuia") e, com tal intensidade, estorou o cristal do microfone. Não teve conserto: a Dupla ficou com apenas uma face do disco (na outra face, o disco ficou com "Salada Internacional" ( Capitão Furtado Palmeira Piraci) interpretada pela dupla Palmeira e Piraci).

Bem sucedida com a gravação de “Em Vez de me Agradecê”, a qual serviu de teste, a dupla gravou seu primeiro disco completo, a moda-de-viola "Sertão Do Laranjinha" ( Capitão Furtado - Tonico - Tinoco) e “Percorrendo O Meu Brasil”, (Tonico - Tinoco - João Merlini ), e o sucesso foi imediato.

Logo depois, a dupla também passou a se destacar com clássicos do repertório Caipira Raiz, tais como “Canoeiro” (Zé Carreiro - Alocin), "Cana Verde" (Tonico - Tinoco), "Tristeza do Jeca" (Angelino de Oliveira), "Destinos Iguais" (Ariowaldo Pires - Laureano), "Chico Mineiro" (Tonico - Francisco Ribeiro) e "Vingança do Chico Mineiro" (Tonico - Sebastião de Oliveira).

"Chico Mineiro" (Tonico - Francisco Ribeiro) é, por sinal, um "marco" na carreira de Tonico e Tinoco: gravada pela primeira vez em Abril de 1946, a gravadora havia informado que esse seria o último disco da dupla, já que, de acordo com o encarte do CD "Tonico e Tinoco - Nossas Primeiras Gravações" - RVCD-220 (ver logo abaixo), lançado pela gravadora Revivendo, "...existia uma reclamação dos ouvintes, que alegavam não entender a pronúncia deles..." Porém, graças ao sucesso de "Chico Mineiro" (Tonico - Francisco Ribeiro), Tonico e Tinoco conseguiram adquirir a primeira casa para viverem juntamente com a família na Capital Paulista.

Tonico e Tinoco já estavam se tornando a Dupla Caipira mais famosa do país!!

E ainda sobre "Chico Mineiro" (Tonico - Francisco Ribeiro), de acordo com Ayrton Mugnaini Jr. em seu livro "Enciclopédia das Músicas Sertanejas" (página 72), o próprio Tonico dizia que "Francisco Ribeiro era porteiro das [Emissoras] Associadas, no bairro do Sumaré, em São Paulo-SP. Em 1943 ele apresentou uma poesia, com 25 versos, no programa 'Arraial da Curva Torta'. Enquanto a poesia era lida, eu me lembrava que meu pai contava essa história e que também já a tinha ouvido em muitos lugares: se era em São Paulo, chamava-se Chico Paulista; se era em Goiás, era Chico Goiano - mas a história era sempre a mesma. Conversando com o Francisco, cortamos alguns versos e fizemos um arranjo a partir de uma música muito antiga que nosso pai cantava ('Minha Viola de pinho / que recorda meu passado / alegra quem está doente / consola que está acordado...'). Ficou com uma parte declamada e outra cantada, e foi o maior sucesso."

E ainda no mesmo livro, Ayrton Mugnaini Jr. menciona que logo chegou a hora da "Vingança do Chico Mineiro" (Tonico - Sebastião de Oliveira) e o próprio Tonico nos conta que "Um dia, no programa da Rádio Tupi, apareceu um mocinho que foi dizendo 'Eu sou estudante de Medicina e trouxe esta letra para vocês darem uma olhada. Como "Chico Mineiro" está fazendo sucesso, eu fiz a "Vingança do Chico Mineiro"... 'Acabamos gravando a 'Vingança', em 78 rotações."

Também merece ser destacado que Ariowaldo Pires, o Capitão Furtado havia contratado a dupla Rosalinda e Florisbela para substituir Xandica e Xandoca (que haviam deixado repentinamente o programa "Arraial da Curva Torta" na Rádio Difusora de São Paulo-SP). A jovem dupla feminina era formada por Hebe e Estela Camargo de Taubaté-SP (foto recente à esquerda), filhas do Violinista Sigesfredo Monteiro de Camargo, também conhecido como Fego Camargo, e que tocava no programa "Saudade" na mesma emissora.

De acordo com o livro de Tonico e Tinoco "Da Beira Da Tuia Ao Teatro Municipal" (Editora Ática - 1984 - fora de catálogo) e citado também no livro de Rosa Nepomuceno "Música Caipira - Da Roça Ao Rodeio" (Editora 34 - pág. 138), "... Tonico caiu de amores por Estela Camargo, mas 'cadê a coragem de falar com a moça?' (...) Pediu ao pandeirista Zé Pretinho que ficou encarregado de levar bilhetes à amada, em troca de almoços, todos os domingos, num restaurante perto da rádio. As respostas nunca vinham e, meses depois, a moça ficou noiva. Tonico pediu uma explicação ao amigo, dizendo que estava muito aborrecido com aquilo. 'Mais que eu, não! Agora fiquei sem meu almoço dos domingos!' respondeu Zé..."

Êh, tempinho... Estela não levou prá frente a Carreira Artística, mas a irmã Hebe Camargo, seguiu como excelente cantora da nossa Boa Música Brasileira e continuou apresentando seu conhecidíssimo programa semanal por vários anos no SBT! E, na foto acima à direita, Tonico e Tinoco no inesquecível programa de Hebe Camargo que ia ao ar às Segundas-Feiras pelo SBT.

São Paulo era ainda "um tanto provinciana", apesar de estar em crescimento. O Rio de Janeiro era ainda a Capital Federal. E, na década de 40, mais exatamente, após a segunda guerra mundial, ainda havia espaço na Paulicéia Desvairada, via ondas de rádio, para programas sertanejos de grande prestígio: "Manhã na Roça", de Chico Carretel, na Rádio Cruzeiro do Sul; "Brasil Caboclo" e "Onde Canta o Sabiá", do Capitão Barduíno e do Comendador Biguá, na Rádio Bandeirantes; "Alma Cabocla" e também o famosíssimo "Arraial da Curva Torta", do Capitão Furtado, na Rádio Difusora, programa esse já mencionado no site.

Boas duplas caipiras também estavam no auge e dividiam a popularidade com a "Dupla Coração do Brasil", tais como " Nhô Pai e Nhô Fio", Irmãs Castro, Mariano e Caçula, Mandi e Sorocabinha, Sulino e Marrueiro, Zé Fortuna e Pitangueira, Torrinha e Canhotinho, Brinquinho e Brioso, Irmãs Galvão, Zico e Zeca, Liu e Léu, Zilo e Zalo, Cascatinha & Inhana, Nonô e Naná, Raul Torres e Florêncio, Moreno e Moreninho, Nenete e Dorinho, Serrinha e Caboclinho, Tião Carreiro e Pardinho, Vieira e Vieirinha, Palmeira e Biá, Luizinho e Limeira, Peão Carreiro e Zé Paulo e muitas outras. Havia "trabalho garantido para todos".

O sucesso era cada vez maior e muito mais do que merecido. E Tonico e Tinoco receberam o título de "Dupla Coração do Brasil" em 1951, quando o humorista Saracura resolveu assim "batizá-los", pela maneira como interpretavam todos os Ritmos Regionais Brasileiros.

Em 1961, no entanto, Tonico, acometido de tuberculose, foi internado em Campos do Jordão e Tinoco cantou algum tempo com o irmão Chiquinho. Um duríssimo golpe, sem dúvida na carreira da dupla. Após 4 anos e apesar do triste diagnóstico médico, que dizia não haver mais esperanças de Tonico poder voltar a cantar, a Dupla Coração do Brasil se reuniu novamente e voltou a gravar, em 1965.

Apesar de terem participado da primeira transmissão da Televisão Brasileira (a Tupi em 1950) e cantado em todos os canais de TV em São Paulo, e de terem tido também um programa exclusivo na TV Bandeirantes, Tonico e Tinoco sempre preferiram, no entanto, as Estações de Rádio, onde a dupla atuou em programas exclusivos na Tupi, Nacional e Bandeirantes.

Qual terá sido o "Ponto Mais Alto na Carreira de Tonico e Tinoco"?. Em minha opinião, foi em 06/06/1979, quando a Dupla Coração do Brasil apresentou-se no Teatro Municipal de São Paulo, num show que durou três horas e que reuniu um público recorde de 2.500 pessoas!!!. Da "beira da tuia", celeiros centenários onde cantavam no passado, os Irmãos Pérez chegavam a um dos mais famosos teatros do mundo, que até então só havia aberto as suas portas para Óperas, Balés e Concertos Eruditos.

Também escreveram por essa época o livro "Tonico e Tinoco - Da Beira da Tuia ao Teatro Municipal", o qual esperamos que seja reeditado o mais breve possível, já que se encontra fora de catálogo.

O último CD da dupla foi gravado em 1994, pela Polygram (hoje Universal Music), com a participação de Chitãozinho e Xororó e Sandy e Júnior na primeira faixa (intitulada "Coração do Brasil" (Joel Marques - Maracaí)). O último show da dupla foi em Juína-MT, em 07/08/1994. E, no dia 13/08/1994, após uma queda acidental na escadaria do prédio onde morava no bairro da Moóca, um traumatismo craniano fez com que João Salvador Pérez, o Tonico, deixasse esse mundo, repentinamente...

E Tinoco ainda "encontrou forças" no amor que recebeu dos fãs, e na saudade do companheiro que havia partido. Realizou mais de trinta apresentações às quais haviam sido contratadas antes do falecimento de Tonico.


E a vida continuava... e o show não podia parar... Tinoco não parou de trabalhar! Continuou firme na estrada, defendendo a autêntica Música Caipira Raiz até o dia 04/05/2012, quando contava 91 anos de idade...


No início de 1995 Tinoco formou por aproximadamente um ano uma dupla com Zé Paulo (o mesmo que durante vários anos cantou em dupla com Peão Carreiro).

Em 1996, Tinoco formou com Uilton Antonio Santos a dupla "Tinoco e Tinoquinho". Uilton havia gravado 2 compactos e 2 CDs, além de ter trabalhado na década de 1970 com João Mineiro e Marciano. Em 1980, formou uma banda, e realizou grandes eventos pelo Interior Paulista. Em 1992, Uilton trouxe sua banda para integrar o Show de Tonico e Tinoco. Com o tempo, foi "batizado" como Tinoquinho e "adotado de coração por Tinoco como se fosse seu filho"...

E Tinoco continuou "na estrada": após o falecimento do Tonico, ele dividiu o palco com cerca de 10 diferentes Músicos Caipiras, tais como Zé Paulo Medeiros, Gentil Rossi, além dos já mencionados Zé Paulo e Tinoquinho, com quem chegou a gravar alguns CD's.


Alguns números interessantes da Produção Musical de Tonico e Tinoco:

Mais de 1500 gravações em:

83 "bolachões" 78 RPM;

30 compactos simples e duplos;

82 LPS;

03 CDs inéditos, além de mais de 50 CDs remasterizados (40 dos quais remasterizados recentemente pela Globo/Continental).

Apesar do número, calcula-se que apenas um pouco mais da metade da Produção em Vinil de Tonico e Tinoco tenha sido realmente remasterizada em CD. Esperamos que esse trabalho continue, para que tal Patrimônio Histórico Musical esteja acessível a todos nós e também à "nova geração de apreciadores"!

Venderam mais de 150 milhões de cópias, realizando também um incontável número de apresentações em toda a carreira.

Para nossa felicidade, as primeiras 21 gravações deixadas em 78 RPM pela Dupla Coração do Brasil foram remasterizadas no CD "Tonico e Tinoco - Nossas Primeiras Gravações" - RVCD-220 lançado pela excelente gravadora Revivendo com um excelente trabalho de León Barg em termos do resgate das preciosas gravações históricas, que vão de 1944 a 1948, muitas das quais disponíveis apenas em 78 RPM até então! A 1ª. faixa é a histórica gravação de "Em Vez De Me Agradecer" (Capitão Furtado - Jaime Martins - Aimoré) que ocupava o Lado A do disco 78 RPM Nº. 15.385-A, da Continental (Matriz 10.324-2), gravada em Novembro de 1944 e lançada em Julho de 1945. Conforme já foi mencionado, no Lado-B desse "bolachão", foi gravada a música "Salada Internacional" (Capitão Furtado - Palmeira - Piraci) pela dupla " Palmeira e Piraci" e esse "bolachão" 78 RPM foi a estréia em disco de Tonico e Tinoco. A mencionada gravação do Lado-B também foi lançada pela Revivendo no CD "Palmeira e Piraci - Caboclinho Apaixonado" - RVCD-181.

Além das gravações históricas resgatadas, os CD's da Revivendo também presenteiam o Apreciador com excelentes encartes contendo dados biográficos do artista, além das letras das músicas, explicações sobre as mesmas e os dados originais constantes no selo do "bolachão" 78 RPM!

Parabéns, mais uma vez, León Barg!!!




Uma Viagem Interessante:



Logo no início da construção desse site, tive o prazer de visitar as cidades onde nasceram Tonico e Tinoco, viagem que fiz no dia 15/03/2003.

Na cidade de São Manuel-SP, terra-natal de Tonico, visitei o Museu Histórico e Pedagógico Padre Manuel da Nóbrega onde pude ver a Viola e o Violão brancos, bombachas e chapéus que pertenceram à Dupla Coração do Brasil. Esse Museu Histórico (foto acima e à esquerda), também recebeu a visita de Paulo Roberto Moura Castro que elaborou uma excelente página sobre o acervo do mesmo (juntamente com o Museu de Pratânia-SP).

E, na simpática e recém-emancipada Pratânia-SP, conhecida como "A Terra do Couro" (terra-natal de Tinoco, que em 1920 pertencia a Botucatu-SP, e que também já foi distrito de São Manuel-SP), tive a felicidade de visitar a casa onde Tinoco viveu os primeiros anos de sua infância, a qual foi transportada para o terreno atrás da Câmara Municipal, graças à iniciativa de Roque Joner, o primeiro prefeito do novo município que, por sinal, foi reeleito no ano 2000.

Tinoco doou à Prefeitura de Pratânia-SP um riquíssimo Acervo que inclui LPs e Discos 78 RPM com antigas gravações, cartazes de filmes estrelados pela dupla, troféus, textos de peças de teatro e também o banco escolar que foi utilizado pelos Irmãos Pérez na Escola Rural do Guarantã.

Além do acervo dedicado à trajetória da Dupla Coração do Brasil, também há nesse Museu uma sala dedicada à dupla Pedro Bento e Zé da Estrada, com os típicos "Sombreros Mariachis" e "Trajes Típicos Mexicanos" que tanto caracterizam os Amantes das Rancheiras. Lembrar que Zé da Estrada também é Pratiano, sendo portanto conterrâneo de Tinoco.

Assim como foi com o Museu Cornélio Pires em Tietê-SP, o Museu de Tinoco em Pratânia-SP eu também visitei após ter lido sobre o mesmo no site de Paulo Roberto Moura Castro, o qual já mencionei na página dedicada ao Cornélio Pires. Já o Museu Histórico e Pedagógico Padre Manuel da Nóbrega, foi visitado posteriormente por Paulo Roberto Moura Castro que, conforme já mencionei, enriqueceu ainda mais as Informações e Ilustrações Históricas e Culturais de seu excelente Site Dedicado à Dupla Tonico e Tinoco.

Em São Manuel-SP, ao lado da Avenida José Horácio Mellão, próximo à entrada da cidade, junto à Rodovia Marechal Rondon, na Praça Tonico e Tinoco, encontra-se o monumento dedicado à Dupla Coração do Brasil, que consiste nas estátuas de bronze que representam os dois irmãos e uma armação metálica por trás que lembra o "contorno" de uma Viola, com cerca de 10 metros de altura (foto à direita). O monumento foi inaugurado em 01/10/1996 pelo então prefeito de São Manuel-SP, Marcos Monti. E a Obra de Arte foi esculpida por Pedro César, de Botucatu-SP. Tal monumento virou atração turística e são freqüentes as paradas de ônibus de turismo de passagem pela Rodovia Marechal Rondon que adentram à cidade para que a praça seja visitada e fotografada.


Também nessa simpática cidade tive o prazer de ouvir a Banda tocando no coreto no Domingo 16/03/2003: trata-se da Sociedade Filarmônica São Manuelense que todos os Domingos faz a sua apresentação em frente ao Hotel Astral às 19:30. No repertório, Música Erudita, MPB e Jazz, ou seja, um repertório de grande versatilidade. Apesar de já ter fotografado diversos coretos em diversas cidades interioranas, fazia alguns anos que não via um "funcionando devidamente" como tive o prazer de presenciar naquela noite de Domingo na Terra Natal do Tonico!

Voltei a visitar São Manuel-SP no dia 08/04/2007 (foto à direita) e tive a felicidade de assistir novamente à Retreta que se realiza todos os Domingos à noite (foto abaixo à esquerda). Sem dúvida, um bom exemplo a ser seguido, já que a Música é de fundamental importância para a Cultura e a Educação! E uma das belíssimas Páginas Musicas que ouvi nessa noite foi a Valsa "Saudade de Matão" (Antenógenes Silva - Jorge Galatti - Raul Torres)!!


Ainda em São Manuel-SP, na primeira vez em que visitei a Terra de Tonico, em 16/03/2003, comi um Hamburger e tomei uma Cerveja na Lanchonete Curió, onde o "Sr. Kurió", após uma rápida conversa comigo, deu-me uma foto (abaixo) a qual faço questão de mostrar, e onde podemos ver (da esquerda prá direita) Tinoco, Sr. Kurió, Tinoquinho e João Scarabella, gerente da "Nossa Caixa" em Pratânia. Segundo o Sr. Kurió, o evento foi a inauguração da "Loteria Paulista" na vizinha Pratânia-SP, a Terra-Natal de Tinoco.





Clique aqui, veja e ouça o Programa "Em Nome Do Amor", apresentado pelo Silvio Santos, com a participação das Irmãs Galvão, Sérgio Reis e Mário Zan, além de "Atayde e Alexandre", "Rick e Renner", Marco Brasil, Nhô Morais e Familiares de Tonico e Tinoco, Programa esse que foi ao ar no dia 01/08/1999 pelo SBT!!!

Nessa Entrevista, também são feitos alguns comentários sobre os conceitos de Música Sertaneja e Música Raiz!!! Esse Vídeo foi disponibilizado pela Sandra Cristina Peripato no Site do YouTube!!! Quem me enviou o link foi o "Cumpadre" Ramiro Vióla!!!


Clique aqui, veja e ouça um vídeo no YouTube, que fala sobre os 15 Anos da Emancipação Político-Administrativa de Pratânia-SP, cuja comemoração se deu no dia 22/03/2012, lembrando que Pratânia-SP pertencia a Botucatu-SP e é a Terra-Natal do Tinoco!!!


E, pela Lei Municipal Nº 539, de 26/09/2013, o Prefeito Roque Joner instituiu a Semana Cultural Tonico e Tinoco, a ser realizada na Cidade de Pratânia-SP, em toda primeira semana de mês de Novembro (mês do nascimento de Tinoco) de cada ano, com Atividades Culturais diversas!!!

Clique aqui ou na figura à direita e veja o Documento pelo qual a Semana Cultural Tonico e Tinoco foi instituída nessa data!


Na foto abaixo, Ricardinho (de camisa amarela), com o "Cumpadre" Joselito (In Memoriam) e Família, visitando a Casa Cultural Tonico e Tinoco, inaugurada em 25/01/2004 na Pousada dos Pescadores, no Alto da Serra - Estrada Velha de Santos (Caminho do Mar) - Km 36 - São Bernardo do Campo-SP. O "Cumpadre" Joselito era Irmão de minha Esposa (Netinha) e apreciava a autêntica Música Caipira Raiz. Ele passou para o Oriente Eterno.·. no dia 22/01/2014, após mais de 2 anos de sofrimento com hemodiálises e lutando contra o mieloma múltiplo, do qual foi vítima...





Na foto abaixo, Tinoquinho e Ricardinho na Churrascaria Para-Pedro em São Bernardo do Campo-SP, no dia 26/03/2004, no mesmo dia e local onde assisti também a um show de Zé Mulato e Cassiano.





Na foto abaixo, Ricardinho visitando mais uma vez o acervo da Casa Cultural Tonico e Tinoco, na Pousada dos Pescadores em São Bernardo do Campo-SP, no dia 30/01/2005.





Na foto abaixo, Tinoco e Ricardinho em 30/01/2005 na Pousada dos Pescadores em São Bernardo do Campo-SP, por ocasião do show comemorativo do primeiro aniversário da Casa Cultural Tonico e Tinoco:




Na foto abaixo, gentilmente enviada pelo Fábio Porangaba (criador do Site Os Reis do Cururu), a Dupla "Tonico e Tinoco", o Compositor José Rosa (em segundo plano) e o produtor José Russo (à direita, de terno branco). Segundo o Pesquisador e Radialista Maikel Monteiro (que apresenta o Programa "Brasil Caboclo" nos 630 kHz da Rádio Paraná Educativa (e-Paraná) - AM de Curitiba-PR - ver detalhes logo abaixo), essa foto é de 1962, no programa da dupla na Rádio Nacional de São Paulo-SP, ocasião na qual o Tonico havia acabado de retornar de Campos do Jordão-SP, onde havia sido internado por algum tempo para tratamento de saúde. Ainda, de acordo com Maikel, José Rosa também fazia parte do elenco das Peças Teatrais de Tonico e Tinoco enquanto que José Russo era Comunicador na Rádio Nacional, tendo mais tarde se transferido para a Rádio Record onde apresentou por alguns anos o inesquecível programa "Linha Sertaneja Classe A".




Na foto abaixo, Tinoco ao lado de Maikel Monteiro (que apresenta o Programa "Brasil Caboclo" nos 630 kHz da Rádio Paraná Educativa (e-Paraná) - AM de Curitiba-PR - ver detalhes logo abaixo). Foto de autoria do Radialista José Francisco (que também apresenta o mesmo programa juntamente com o Maikel Monteiro).




Na foto abaixo, José de Palma, Maikel Monteiro e Ricardinho, no dia 19/02/2006 no Estúdio "Nhô Belarmino e Nhâ Gabriela", da Rádio Paraná Educativa (e-Paraná) - AM - 630 kHz, onde Maikel Monteiro apresenta todos os Domingos das 07:00 às 09:00 da manhã o excelente programa "Brasil Caboclo". José de Palma, residente em Cariacica-ES, é Apreciador e também um dos mais renomados Estudiosos e Colecionadores de diversos materiais relativos à "Dupla Coração do Brasil". Clique aqui e saiba mais sobre esse reconhecido fã de Tonico e Tinoco que é José de Palma, no excelente Site de Paulo Roberto Moura Castro dedicado à Dupla Coração do Brasil!




No dia 11/06/2006 Tinoco nos brindou com uma belíssima apresentação juntamente com Zé Paulo Medeiros no SESC - Vila Mariana na Paulicéia Desvairada. Na foto abaixo, da esquerda prá direita, Joaquim Rabello, Tinoco e Zé Paulo Medeiros nesse inesquecível encontro:




Nesse show, Tinoco nos brindou com sua belíssima voz, interpretando sucessos do repertório consagrado pela inesquecível Dupla Coração do Brasil, além de músicas do novo CD (Tinoco do Brasil - 70 Anos) (foto da capa acima e à direita) e, bastante bem humorado, contou-nos parte da História de sua belíssima Carreira Musical. Na foto à esquerda, Tinoco ao lado de sua esposa Nadir e, na mesma foto, ao fundo, o Violonista Joaquim Rabello que acompanhou Zé Paulo Medeiros nessa apresentação que foi um verdadeiro "Encontro de Gerações". E, nesse novo CD, Tinoco interpreta um repertório muito interessante composto não apenas por Música Caipira, mas também por algumas páginas da nossa Boa Música Brasileira que são do seu próprio gosto musical, conteúdo esse que o Tinoco desejava ter gravado com o irmão Tonico há alguns anos atrás: dentre as faixas do CD, quero destacar "Viola" (Zé Paulo Medeiros), "70 Anos" (Tinoco - José Carlos), "Mágoas de Caboclo" (J. Cascata - Leonel Azevedo), "Cowboy Fora da Lei" (Raul Seixas - Cláudio Roberto) e "Baile na Fazenda" (Roberto Carlos - Erasmo Carlos), além da tradicional "Baile na Roça" (Tinoco - Nadir).


Na foto abaixo, Ricardinho, o criador desse site, ao lado de José Carlos Pérez, filho e produtor de Tinoco, no dia 11/06/2006, após a inesquecível apresentação no SESC Vila Mariana na Capital Paulista:




Na foto abaixo, Tinoco autografa o CD de Ricardinho, após o show de 11/06/2006 no SESC Vila Mariana:




Nas fotos abaixo, Tinoco, Netinha (minha Esposa) e Ricardinho, após esse maravilhoso "Encontro de Gerações" que teve lugar no SESC Vila Mariana no dia 11/06/2006:






Voltei a me encontrar com Tinoco em Assis-SP, ocasião na qual estava visitando o "Cumpadre" Luciano Queiroz, que é Violeiro e Luthier nessa cidade do Interior Paulista, no dia 17/10/2008. Na noite desse mesmo dia, Tinoco se apresentou ao ar livre em Cândido Mota-SP, por ocasião do sorteio semanal da Loteria Paulista.

Na foto abaixo, da esquerda prá direita, Luciano Queiroz, José Carlos Pérez (Filho e Produtor de Tinoco), Ricardinho e o Sr. Expedito (Pai de Luciano), em Assis-SP, no dia 17/10/2008:



Na foto abaixo, da esquerda prá direita, Luciano Queiroz, Tinoco e o Sr. Expedito (Pai de Luciano), em Assis-SP, no mesmo dia:



Na foto abaixo, da esquerda prá direita, Netinha (minha Esposa), Tinoco e Ricardinho, em Assis-SP, na manhã de 17/10/2008:



Na foto abaixo, da esquerda prá direita, Suzzi (Esposa de Luciano Queiroz), Tinoco e o Violeiro e Luthier Luciano Queiroz, em Cândido Mota-SP, na noite de 17/10/2008:



Na foto abaixo, Tinoco se apresentando ao ar livre em Cândido Mota-SP, por ocasião do sorteio semanal da Loteria Paulista, na noite de 17/10/2008:




Voltei a me encontrar com Tinoco e seu filho José Carlos Perez no dia 15/08/2010 em Guarulhos-SP, por ocasião da 269ª Festa de Nossa Senhora de Bonsucesso em um espetáculo no qual foram comemorados os 75 anos de carreira da Dupla Coração do Brasil!

Foi lançado nessa ocasião o CD de Produção Independente intitulado "Tinoco do Brasil - Entre Amigos" com uma coletânea de 20 Músicas que marcaram de forma brilhante a carreira da inesquecível Dupla, dentre elas, "Tristeza do Jeca" (Angelino de Oliveira), "Cabocla" (Tonico - Tinoco), "Saudade de Matão" (Antenógenes Silva - Jorge Galatti - Raul Torres), "Brasil Caboclo" (Tonico - Walter Amaral), "Feijão Queimado" (José Rielli - Raul Torres), "Moreninha Linda" (Tonico - Priminho - Maninho), "Cana Verde" (Tonico - Tinoco), "Chico Mineiro" (Tonico - Francisco Ribeiro) e "O Sanfoneiro Só Tocava Isso" (Haroldo Lobo - Geraldo Medeiros).


Na foto abaixo, Ricardinho, Tinoco e Netinha, momentos antes da apresentação que se deu em Guarulhos-SP, no dia 15/08/2010:




Na foto abaixo, O Radialista Penacho (da inesquecível Rádio Tupi de São Paulo-SP) e Tinoco, momentos antes da apresentação em Guarulhos-SP, no dia 15/08/2010:




Na foto abaixo, Tinoco, ladeado por Músicos da Orquestra de Violeiros "Coração da Viola" de Guarulhos-SP, momentos antes da apresentação, no dia 15/08/2010:




Na foto abaixo, da esquerda prá direita, o Prefeito de Guarulhos-SP Sebastião Almeida, Ricardinho e José Carlos Perez, momentos antes da apresentação de Tinoco nessa cidade, no dia 15/08/2010:




Na foto abaixo, Tinoco e, ao seu lado, o Radialista Penacho, na apresentação no bairro Bonsucesso, em Guarulhos-SP, no dia 15/08/2010:




E, na foto abaixo, a Orquestra de Violeiros "Coração da Viola" de Guarulhos-SP, que acompanhou Tinoco na apresentação que se deu no dia 15/08/2010:




Tinoco também esteve presente no programa "Viola Minha Viola", apresentado pela Comendadora Inezita Barroso, na TV Cultura de São Paulo e que foi ao ar no dia 11/06/2003. Tinoco falou inclusive sobre o livro "Tinoco - Um Herói do Sertão", recém lançado, escrito por Gildo Sanches (Gráfica e Editora Pérez), cuja leitura recomendo (Ver mais detalhes sobre esse excelente livro nas Referências Bibliográficas na página Para saber mais...). Também estiveram presentes no mesmo programa a dupla Jacó e Jacozito e também o Amaraí com seu filho Francis Junior, que reviveram alguns sucessos da dupla Belmonte e Amaraí, relembrando o antigo companheiro Belmonte (Paschoal Todarelli: 02/11/1937 - 09/09/1972), filho de Barra Bonita-SP e que faleceu em 1972 num acidente de carro, próximo a Santa Cruz das Palmeiras-MG.



Clique aqui, veja a letra e ouça, na interpretação de Tonico e Tinoco, a música "Dois Corações" (Tonico - Teddy Vieira), numa gravação disponível somente em vinil, fora de catálogo e ainda inédita em CD.


Clique aqui e ouça a Toada "Boi de Carro" (Anacleto Rosas Jr. - Tinoco) interpretada por Tonico e Tinoco numa gravação histórica do Disco 78 RPM - 16466 - Lado A - Gravadora Continental - Gravado em 19/06/1951 - do Acervo de José Ramos Tinhorão - num excelente Arquivo Musical pertencente ao IMS - Instituto Moreira Salles, excelente site que se preocupa com a Preservação de Inestimáveis Acervos Brasileiros em termos de Música, Fotografia, Artes Plásticas e Biblioteca, o qual convido o Apreciador a visitar!


Clique aqui e ouça a Moda de Viola "Monumento Nacional" (Juca Reis - Tonico) interpretada por Tonico e Tinoco numa gravação histórica do Disco 78 RPM - 16581 - Lado B - Gravadora Continental - Gravado em 09/05/1952 - do Acervo de José Ramos Tinhorão - num excelente Arquivo Musical pertencente ao IMS - Instituto Moreira Salles, excelente site que se preocupa com a Preservação de Inestimáveis Acervos Brasileiros em termos de Música, Fotografia, Artes Plásticas e Biblioteca, o qual convido o Apreciador a visitar!


Clique aqui, e ouça o "jingle" da Dodge, possivelmente o único reclame gravado por Tonico e Tinoco. Num Arquivo pertencente ao excelente Site de Paulo Roberto Moura Castro, dedicado à Dupla Coração do Brasil.



Uma excelente biografia bastante detalhada da Dupla Coração do Brasil pode ser vista no excelente Site de Paulo Roberto Moura Castro, um grande apreciador de Tonico e Tinoco! Biografia essa muitíssimo bem elaborada mostrando que o Biógrafo realmente gosta dos Biografados!!


Clique aqui, e conheça também o site oficial Tinoco do Brasil, criado por José Carlos Pérez, filho de Tinoco, com riquíssimas informações oriundas da pesquisa de Paulo Roberto de Moura Castro.



Também tenho, além do meu gosto pela excelente Dupla Coração do Brasil, uma "gratidão especial" pela homenagem que fizeram à cidade de Santos que é a minha Cidade-Natal e também a Cidade-Natal de Renato Teixeira e Passoca, além de ser também a cidade onde Alvarenga e Ranchinho se conheceram e formaram a célebre Dupla. Clique aqui e ouça Tonico e Tinoco interpretando "Cidade de Santos" (Manito - Tinoco - Milton José), gravação que consta do LP "34 Anos de Glória" (foto da capa acima à direita) que, para nossa felicidade, foi remasterizado em CD pela Globo/Continental. Esse Arquivo Musical pertence ao site do Jornal Eletrônico do Novo Milênio, numa página dedicada à Cidade de Santos, num artigo específico intitulado A Homenagem Sertaneja de Tonico e Tinoco. Esse artigo, por sinal, também contou com a colaboração de Paulo Roberto Moura Castro, criador do excelente e já mencionado Site Dedicado à Dupla Tonico e Tinoco.



Clique aqui, veja e ouça a Reportagem sobre a 18ª Missa Sertaneja e a Homenagem aos 91 Anos de Tinoco, que se deu na Cidade de Botucatu-SP e que foi ao ar em Dezembro/2011 pela TV TEM Bauru-SP - Centro-Oeste Paulista (afiliada à Rede Globo). Nessa reportagem, a presença da "Madrinha" Inezita Barroso e do "Cumpadre" Ramiro Vióla!!!



Clique aqui, veja e ouça o Programa "Ser.. Tão Brasil" - Nº 21 - com a participação de Zeka Perez (José Carlos Perez) (Filho de Tinoco) e André Mazzaropi, (Filho de Amácio Mazzaropi) e que foi feito em memória à Dupla Coração do Brasil, vídeo disponível no Site da FronTV!!!



E Tinoco "passou para o Oriente Eterno" na madrugada do dia 04/05/2012, à 01h:42min, no Hospital Municipal Doutor Ignácio Proença de Gouvêa, na Moóca, bairro da Zona Leste da Capital Paulista, em conseqüência de complicações respiratórias, após ter passado mal na tarde de Quinta-Feira (03/05/2012), quando deu entrada no hospital, com crise respiratória, por volta das 15h:00.

Antes de falecer, Tinoco teve duas paradas cardíacas no hospital e, de acordo com os Médicos que o atenderam, pelos sinais apresentados, ele havia sofrido um enfarte dois dias antes, apesar de não ter sentido sintoma algum em sua residência.

O corpo de Tinoco foi velado no Cemitério Quarta Parada, no bairro do Belém, na Zona Leste de São Paulo-SP, e o enterro se deu as 17h:00 do dia 04/05/2012 no Cemitério da Vila Alpina, também na Zona Leste da Capital Paulista.

E, na Quarta-Feira anterior (02/05/2012), Tinoco havia participado da gravação do Programa Viola Minha Viola na TV Cultura de São Paulo-SP, Programa esse que foi ao ar no Domingo (06/05/2012), apresentado pela "Madrinha" Inezita Barroso e que também contou com a participação de Divino e Donizete, Duo Glacial, "Ivan Lobo e Vitor Cezar" e Mazinho Quevedo.

Tinoco: Receba de Ricardinho essa singela homenagem...



Clique aqui e veja o recorte de jornal do Artigo intitulado Caipira Universal, escrito pelo Grande Escritor e Historiador Juremir Machado da Silva no Jornal Correio do Povo de Porto Alegre-RS, no dia 05/05/2012, Documento esse que me foi gentilmente enviado pelo Escritor Israel Lopes e que, segundo ele, é um Trabalho digno de ser citado em trabalhos futuros sobre a nossa Música Caipira!!!



Segue abaixo o Poema "Lembrança De Violeiro", escrito pelo Apreciador Fernando Rodrigues Leandro de Arapongas-PR, no dia 07/05/2012:

" Óh, morte fria e ingrata,
Veio roubar de nós o Grande VIOLEIRO,
Ficou triste a NOITE DE SÃO JOÃO,
Acabou a alegria do roceiro
Já não tem mais BAILE NA TUIA,
Só resta a lembrança do Seresteiro.

Na vilinha do riacho tudo é tristeza,
O sino da capelinha toca silenciado,
LÁ NO SERTÃO o galo já não canta,
No PÉ DE IPÊ os pássaros gorgeiam magoado,
Nosso BRASIL CABOCLO cobriu de luto,
Pela perda do ídolo afamado.

Hojê está na QUERÊNCIA DO CÉU,
Ao lado do CHICO MINEIRO,
DOUTOR LAUREANO, CHICO VIOLA,
E tantos outros companheiros,
E com o Mestre Mário Zan,
No Palco do Criador fará QUADRILHA NO TERREIRO."



Voltei a me encontrar com José Carlos Perez, Filho e Produtor do inesquecível Tinoco, no "PO" (Sociedade Amigos do Parque Novo Oratório), em Santo André-SP, por ocasião do lançamento do 6º CD da Dupla Joseval e Josiene, no dia 19/05/2013!!! Na foto abaixo, Ricardinho e José Carlos Perez, nesse mesmo dia no "PO":




E, para quem reside em Santo André-SP e Região, fica aqui o convite para conhecer Sociedade Amigos do Bairro do Parque Novo Oratório (popularmente conhecida como "PO"), na Rua Jerusalem Nº 100 - esquina com a Rua Araucária, na Cidade de Santo André-SP. No PO, aos Domingos, a partir das 15:00, diversas Duplas Caipiras se apresentam no lugar, proporcionando ao Apreciador uma tarde bastante agradável com bastante Música Raiz de Qualidade! Ricardinho, o criador desse site, foi, gostou e recomenda!!!


Clique aqui e conheça o excelente Site Oficial de José Carlos Perez que mantém viva a Memória Musical da Inesquecível Dupla Coração do Brasil!!!



Quero aqui cumprimentar o Radialista, Produtor e Pesquisador Maikel Monteiro que, juntamente com o amigo José Francisco (na foto à esquerda, José Francisco, Ricardinho e Maikel Monteiro), apresenta o programa Brasil Caboclo que vai ao ar aos Domingos às 07:00 da manhã pela Rádio Paraná Educativa (e-Paraná) de Curitiba-PR (AM 630 kHz), e que conhece a fundo a trajetória de diversos excelentes intérpretes da Música Caipira Raiz, tais como as Irmãs Galvão, Nhô Belarmino e Nhá Gabriela, Tuta e Tota, Jacó e Jacozinho, Leôncio e Leonel, Abel e Caim, Mineiro e Manduzinho, Luizinho, Limeira e Zezinha, Pininha e Verinha, Mogiano e Mogianinho e também a inesquecível Dupla Tonico e Tinoco!!!

Maikel Monteiro é grande Apreciador e Conhecedor da trajetória musical da Dupla Coração do Brasil desde os 13 anos de idade (isso em 1993 - um ano antes do falecimento do Tonico) e me forneceu preciosíssimas informações sobre diversos Compositores e Intérpretes da Música Caipira Raiz para esse site, além do esclarecimento de diversas dúvidas que ocorreram durante a elaboração dos diversos resumos biográficos aqui presentes! O resumo biográfico das Primas Miranda e das Duplas Mensageiro e Mexicano e Nízio e Nézio, por sinal, foi fornecido na íntegra por Maikel Monteiro!

Muito Obrigado, mais uma vez, "Cumpadres" Maikel e Zé Francisco!!! Parabéns por esse gesto que enriquece e ajuda cada vez mais e de forma brilhante a Preservação da Memória Musical Brasileira!!



Obs.: As informações contidas no texto dessa página são originárias do Livro de Rosa Nepomuceno "Música Caipira - Da Roça Ao Rodeio", do já mencionado Livro "Tinoco - Um Herói do Sertão", escrito por Gildo Sanches (Gráfica e Editora Pérez), do livro de Ayrton Mugnaini Jr. "Enciclopédia das Músicas Sertanejas", do encarte do já mencionado CD "Tonico e Tinoco - Nossas Primeiras Gravações" - RVCD-220 lançado pela Revivendo, além dos sites Dicionário Ricardo Cravo Albin de Música Popular Brasileira, Sertão Em Flor e também do excelente site de Paulo Roberto Moura Castro dedicado à Dupla Coração do Brasil! Ver também mais detalhes e links na página Para saber mais... onde constam as Referências Bibliográficas sem as quais a elaboração deste site teria sido impossível.




Essa viagem de trem pela Música Caipira Raiz continua: Clique aqui e pegue o trem, que ele agora irá para Araraquara e Araras no Interior Paulista: conheça um pouquinho do maravilhoso casamento de Cascatinha e Inhana e a bela harmonia nas vozes dos "Sabiás do Sertão".


Ou então, se você preferir outro compositor ou intérprete, clique aqui e "pegue outro trem para outra estação", na Página-Índice dos Compositores e Intérpretes.

















Voltar ao Topo