Inezita Barroso - Comendadora da Música Caipira









Página Inicial


Para saber mais...


Página Índice dos Compositores e Intérpretes


Ouvir Música Caipira





Continuando a "Viagem de Trem" pelo "Interior Musical do Nosso País", vamos fazer agora uma parada "numa Grande Capital", pois foi no bairro da Barra Funda, na Rua Lopes de Oliveira, bem pertinho da casa de Mário de Andrade, na "Paulicéia Desvairada", que nasceu, no dia 04/03/1925, essa grande e inesquecível Cantora, de voz contralto perfeita e especialista em Folclore que se chamava Ignez Magdalena Aranha de Lima e que viveu uma Vida de 90 anos dedicados à mais Autêntica Boa Música Brasileira, até o dia 08/03/2015!!!

De Formação Universitária (formada em Biblioteconomia), Inezita Barroso sempre gostou do nosso Riquíssimo Folclore. Desde criança, conhecia Raul Torres que, tendo sido colega de seu pai na Estrada de Ferro Sorocabana, ia com freqüência à sua casa, onde cantava quando ela fazia aniversário.

A paixão de Inezita pelo Folclore começou desde cedo, pois desde criança tinha bastante admiração por Mário de Andrade (que morava vizinho à casa de sua tia). Conheceu autênticas Modas de Viola cantadas por colonos das fazendas de seus tios, além das já mencionadas visitas de Raul Torres à sua casa!

Tudo isso, somado a centenas de viagens por essa "Nossa Terra Descoberta por Cabral", fizeram de Inezita uma personagem única no cenário musical brasileiro. Não poderia jamais desenvolver esse site dedicado à Memória Musical Brasileira, sem ter uma página dedicada a essa excelente cantora e especialista em Folclore, referência obrigatória nesse Universo Caipira!

Estudou Canto, Piano e Violão na infância e sua estréia profissional se deu em 1950, na Rádio Bandeirantes a convite de Evaldo Rui. Participou também da transmissão inaugural da TV Tupi, canal 3, em 1950 (no mesmo evento, a Dupla Coração do Brasil Tonico e Tinoco também havia participado, apresentando a música "Pé de Ipê" (Tonico - Tinoco)), e trabalhou como cantora exclusiva da Rádio Nacional de São Paulo-SP, transferindo-se mais tarde para a Rádio Record. Participou de seis filmes do nosso cinema na década de 50, inclusive na Vera Cruz. Também ganhou prêmios como melhor cantora do rádio, por grandes sucessos tais como "Moda da Pinga" (Ochelsis Laureano - Raul Torres) e "Lampião de Gás" (Zica Bergami).

Na década de 1950, era "Musa Cult" da "Intelectualidade Urbana".

Mais tarde foi que passou a dedicar o seu trabalho também ao estudo e resgate do Folclore Brasileiro, realizando gravações e ministrando cursos com o objetivo de divulgar esse tipo de Cultura Musical.

"O Folclore é vivo, é mutante, e as modificações ocorrem na poesia, nas letras, nos instrumentos. Então, se um cara fazia Viola a canivete, lá no quintal da casa dele, a gente admite que compre uma Viola maravilhosa, moderna, com um som aprimorado, né? Agora, inadmissível, são coisas que acontecem nesse terreno, que não têm limite: Eu soube que em Minas tem uma Folia de Reis que sai com gravador e o pessoal "dublando" atrás. É indecente demais pra mim. "

Citado na página 326 do Livro "Música Caipira - Da Roça Ao Rodeio" de Rosa Nepomuceno, esta citação de Inezita nos mostra o quanto ela valorizava o que é autêntico, o que é da Nossa Terra. Na página 333 do mesmo livro, outra citação:

"... não é que eu não goste, mas eles quebraram aquela Unidade Caipira. Então dali pra cá começaram a aparecer as duplas ditas modernas, né? Criou-se nesse momento, não uma inimizade, mas uma prevenção contra esse tipo de música. Os Caipiras resolveram se unir, porque não havia mais lugar para eles, eles estavam indo embora, pro interior. "

Nesta citação, Inezita se referiu aos que "inovaram a linguagem do mercado" que misturaram alhos com bugalhos, Violas com guitarras, os quais Inezita sempre viu "com reservas"; isto na época em que "estouravam nas paradas de sucesso" Léo Canhoto e Robertinho, Milionário e José Rico e o Trio Parada Dura. Lembrar que ainda não eram conhecidos "Leandro e Leonardo" nem "Zezé Di Camargo e Luciano".

Inezita também sempre lutou contra os preconceitos: além das exigências do mercado fonográfico que, na maioria das vezes, têm deturpado o verdadeiro valor da nossa Boa Música Brasileira, ela também enfrentou o "preconceito machista": imagine uma jovem, bonita da alta sociedade paulistana (lembrar que nas décadas de 20, 30 e 40 São Paulo-SP era ainda bem "provinciana") cantando e tocando ao Violão as Músicas do nosso rico Folclore! É certo que, com a perfeição de sua voz contralto, Inezita chegou a interpretar até mesmo árias de Óperas como "Carmen" de Georges Bizet, mas, "apenas em família". Mas, seu gosto musical, sua verdadeira paixão, sempre esteve "nas estradas de terra" rumo às mais remotas manifestações musicais desse nosso Brasil tão imenso!!

Desnecessário dizer que, no início, Inezita também enfrentou resistência nos ambientes das emissoras de rádio e também das gravadoras; até mesmo dos próprios pais ela enfrentou resistência, principalmente numa "...São Paulo calma e serena, que era pequena, mas grande demais...", onde já se sentia saudade do "Lampião de Gás" (a belíssima música composta pela Zica Bergami que o diga...), mas ainda era a "Velha São Paulo Quatrocentona"...

Sobre a histórica gravação de "Lampião de Gás" (Zica Bergami), a própria Inezita mencionava que "A Zica Bergami (que faleceu aos 96 anos em Abril de 2011), era uma senhora da sociedade paulista, chiquérrima, de uma família de origem italiana. A irmã dela era casada com um tabelião famoso. Um dia, o Hervê [Cordovil] estava ensaiando comigo no Piano lá na Record, aí me apareceram duas senhoras perfumadas, lindas, de colar de pérolas no pescoço, vindo em nossa direção. Elas traziam uma Música para eu cantar e deram para o Hervê [Cordovil]. A Zica disse que estava aprendendo Piano e deu para o Professor escrever a parte musical. Ela cantarolou, mas a letra era enorme. O Hervê [Cordovil] disse: 'Vou guardar; qualquer oportunidade ligo prá senhora.' Daí surgiu a oportunidade. E justo num dia em que eu estava gripada e com febre. Eu falei: 'Você é louco?' E ele: 'Preciso entregar a matriz até hoje meia-noite, senão esse disco não vai sair. Vou pegar essa Música na gaveta, vamos cortar umas estrofes porque é muito grande, para caber no disco!' Ele chamou o Coral da Record que fez o contra-canto e ficou lindo. Saiu assim, de improviso."

(esse texto se encontra no encarte do CD "Vamos Falar de Brasil" que faz parte do álbum sêxtuplo lançado pela EMI com a remasterização dos 7 primeiros LP's de Inezita lançados pela antiga gravadora Copacabana (ver mais detalhes sobre esse excelente álbum sêxtuplo logo abaixo).

De fato, existia essa limitação no tempo dos "Bolachões" 78 RPM, nos quais a duração máxima da Música era em torno de pouco mais de 3 minutos, para que pudesse caber num lado do Disco. Essa limitação é comentada com mais detalhes na página dedicada ao João Pacífico, nesse site.

E, até hoje, a mulher ainda enfrenta o preconceito, principalmente quando canta sozinha, tendo que lutar contra o machismo brasileiro herdado dos Índios:

"... nas tribos, a mulher não entra nas danças, não canta e nem assiste, e essa tradição passou para o Caipira. Mulher não entra nas rodas de cateretê, por exemplo e, cantando caipira e tocando violão, então, pelo Amor de Deus! Eu é que sei... "

Citado também por Inezita, consta na página 333 do Livro "Música Caipira - Da Roça Ao Rodeio" de Rosa Nepomuceno, o qual recomendo mais uma vez ao Apreciador da nossa Boa Música Brasileira e da nossa Música Caipira Raiz!!

Inezita produziu em 1970 um documentário que representou o Brasil na Expo-70, no Japão. Também produziu diversos documentários e programas para a TV de um modo geral, tendo viajado pelo Mundo inteiro com seu Repertório Folclórico. Fez programas especiais para o Uruguai, Paraguai, Estados Unidos, Israel, França, Itália e até mesmo para a União Soviética. Gravou mais de 80 discos entre os "bolachões 78 RPM", LP's, Compactos e CD's.

Merecem destaques dois CD's que Inezita gravou com o excelente Violeiro Roberto Corrêa pela RGE (hoje Som Livre) ("Voz & Viola" e "Caipira de Fato"), nos quais podemos ouvir a Voz de Inezita e o excelente acompanhamento (aliás, por que não dizer, excelente Solo!!) da Viola Caipira de Roberto Corrêa, num autêntico repertório Caipira Raiz além de belíssimas páginas imortais do Nosso Cancioneiro Nacional.

Inezita Barroso apresentou durante 34 anos na TV Cultura de São Paulo o excelente Programa Viola Minha Viola ("Êita Programa que eu gosto!!"), que teve início em 1980 e é até hoje o mais antigo programa do gênero na Televisão Brasileira. Transmitido em rede para todo o Brasil, esse excelente programa vai ao ar nas noites de Sábado com reprise nas manhãs de Domingo, apresentando atualmente trechos de programas antigos e mais recentes que nos fazem recordar a "Madrinha" Inezita e também as diversas Duplas e Violeiros que já se apresentaram, muitos dos quais também de saudosa memória...

Inezita também desenvolveu intenso trabalho de pesquisa do Nosso Riquíssimo Folclore em diversos Estados Brasileiros, tendo feito também palestras sobre o tema e ministrado ainda diversos cursos sobre Folclore para Secretarias Municipais de Cultura e também para a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo. Também foi Professora de Folclore Brasileiro e História da Música Popular Brasileira na Universidade Capital (São Paulo-SP). Realmente a Maior Autoridade em Folclore Brasileiro!!!

Inezita permaneceu "na estrada", até beirar seus 90 anos vividos, tendo feito shows pelo Interior e pelas Capitais, shows esses que costumavam estar lotados de gente de todas as idades, tanto de gente "saudosa dos lampiões de gás", como também de gente jovem interessada nas potencialidades instrumentais da Viola Caipira, gente que, contrariamente aos interesses comerciais da maioria das gravadoras e produtoras, queria e continua querendo ouvir a "Brasileiríssima Música" que Inezita soube interpretar com Qualidade!!!

Essa nossa "Terra Descoberta por Cabral", apesar de tudo, parece que "... segue seu rumo aos trancos e barrancos, mas não sai da moda. Inezita também não...", conforme citado na página 334 do Livro "Música Caipira - Da Roça Ao Rodeio" de Rosa Nepomuceno...

Graças ao apoio de Inezita e ao seu Programa "Viola Minha Viola", "a Moda de Viola continua na moda" e podemos ter acesso ao trabalho de excelentes músicos, tais como Pereira da Viola, Roberto Corrêa, Zé Mulato e Cassiano, Ramiro Vióla e Pardini, Paulo Freire, Tião do Carro, Renato Teixeira, Almir Sater, Renato Andrade, Helena Meireles e também o excelente Pena Branca (que, mesmo sem a companhia do saudoso Xavantinho, continuou "na estrada" e lançou cinco excelentes CD's após o falecimento do irmão), com quem Inezita gravou "Marcolino" (Domínio Popular), a terceira faixa do CD "Semente Caipira", o primeiro lançado após o falecimento do Xavantinho.

Na foto à esquerda, no Theatro São Pedro, na Capital Paulista em Março de 2003, na gravação do programa "Viola Minha Viola" Especial, pela TV Cultura de São Paulo-SP, o momento no qual a "Madrinha" Inezita Barroso recebeu das mãos do Governador Geraldo Alckmin e da Secretária da Cultura do Estado de São Paulo Cláudia Costim a Comenda do Mérito da Ordem do Ipiranga! Nesse programa também estiveram presentes Pedro Bento e Zé da Estrada, as Irmãs Galvão, Teodoro e Sampaio e a Orquestra Paulistana de Viola Caipira, sob a regência do Maestro Rui Torneze.

Tive o prazer de conhecer pessoalmente a Madrinha Inezita Barroso e também o então produtor do "Viola Minha Viola" Rivaldo Corulli, por ocasião do II Encontro de Violeiros de Ribeirão Preto-SP. Na foto abaixo, Rivaldo Corulli (tendo na mão um exemplar da Revista Viola Caipira), Inezita e Ricardinho, por ocasião do II Encontro de Violeiros de Ribeirão Preto-SP em 13/03/2004:




Tive o prazer de rever Inezita pessoalmente por ocasião do III FESMURP (Festival de Música Sertaneja Raiz de Pardinho-SP) em 12/06/2005 e também por ocasião da Festa Junina do SESC de Bauru-SP em 19/06/2005:


Em Pardinho, além do show, a "Madrinha" também entregou o Troféu Inezita Barroso aos vencedores do Festival, que consagrou as seguintes duplas:

1º lugar: João Pedro e Rafael, de São José do Rio Preto-SP.
2º lugar: Irmãos Ferreira, de Bariri-SP.
3º lugar: Fred Henrique e Marco Aurélio, de Tremembé-SP.
4º lugar: Paulo Cruz e Eduardo, de Cuiabá-MT.
5º lugar: Lelo e Vandy, de Caxias do Sul-RS.

Os premiados do 1º ao 3º lugar também tiveram como Prêmio uma apresentação no Programa "Viola Minha Viola" na TV Cultura de São Paulo-SP, enquanto que os quatro Primeiros Colocados também tiveram como Prêmio uma apresentação no Programa "Canto da Viola", na TV Record Centro-Oeste Paulista, programa que na época era produzido pelo Ramiro Vióla.

Na foto abaixo, Inezita entrega o Troféu à dupla João Pedro e Rafael, que foi a Primeira Colocada, defendendo a composição "O Massacre" (Nélson Lopes), no III FESMURP em Pardinho-SP, no dia 12/06/2005 (à esquerda, o Prefeito de Pardinho Francisco Rocha, o "Fião" e, à direita, Sérgio Vieira que elaborou e apresentou o Festival):



Na foto abaixo, da esquerda prá direita, Robertinho do Acordeon (In Memoriam), Joãozinho e Inezita Barroso, na apresentação, por ocasião do III FESMURP em Pardinho-SP, no dia 12/06/2005:



E, na foto abaixo, Inezita, Netinha e Ricardinho, em Pardinho, após o encerramento do III FESMURP no dia 12/06/2005:




E, no SESC de Bauru-SP, Inezita fez uma excelente apresentação acompanhada pelo Violonista Théo de Barros e também pelo Violeiro-Solista Roberto Corrêa, interpretando um repertório com excelentes clássicos da Fina Flor da MPB, com composições de Hekel Tavares, Noel Rosa e Francisco Alves, além de páginas célebres do Repertório Caipira Raiz, tão bem interpretadas pela "Madrinha"!

Na foto abaixo, Théo de Barros e Inezita, na Festa Junina do SESC de Bauru-SP no dia 19/06/2005:



E, na foto abaixo, Inezita e Roberto Corrêa, na mesma apresentação, na Festa Junina do SESC de Bauru-SP no dia 19/06/2005:



E, encerrando o show, como a platéia sempre pede, "Lampião de Gás" ( Zica Bergami) e "Moda da Pinga" ( Ochelsis Laureano - Raul Torres)!! Na foto abaixo, Inezita no mesmo dia, na Festa Junina do SESC de Bauru-SP:




Tive mais uma vez a felicidade de rever a "Madrinha" Inezita Barroso pessoalmente por ocasião da gravação do Programa Viola Minha Viola no dia 03/09/2008, no Teatro Franco Zampari da TV Cultura de São Paulo-SP, programa esse no qual se apresentaram as Duplas Léo Canhoto e Robertinho, Juliana Andrade e Jucimara e Ramiro Vióla e Pardini.

Na foto abaixo, Inezita Barroso e a Dupla Léo Canhoto e Robertinho, na gravação do Viola Minha Viola no dia 03/09/2008:




Na foto abaixo, Inezita Barroso e a Dupla Juliana Andrade e Jucimara, na gravação do Viola Minha Viola no dia 03/09/2008:




Na foto abaixo, Inezita Barroso e a Dupla Ramiro Vióla e Pardini, na gravação do Viola Minha Viola no dia 03/09/2008:




Na foto abaixo, Inezita Barroso e o Regional Viola Minha Viola, também conhecido carinhosamente como "Regional do Tico-Tico" (da esquerda prá direita: Valdir Batista Lemos, na Percussão; Andrezinho, no Baixo; Arnaldo Freitas, na Viola; e Joãozinho, no Violão), na gravação do Viola Minha Viola no dia 03/09/2008:




Na foto abaixo, Valdir Batista Lemos, Percussionista do Regional Viola Minha Viola (e filho do saudoso Percussionista Escurinho que também já integrou o Regional, junto com o saudoso Robertinho do Acordeon), por ocasião da gravação do Viola Minha Viola no dia 03/09/2008:




Na foto abaixo, da esquerda prá direita, Ramiro Vióla, Ricardinho e a "Madrinha" Inezita Barroso, após a gravação do Viola Minha Viola no dia 03/09/2008:




Quero dar um destaque especial a um dos últimos CD's de Inezita Barroso Hoje Lembrando, lançado em 2003 pela Trama, no qual a "Madrinha" Inezita nos mostra mais uma vez seu excelente Bom Gosto pela nossa Boa Música Brasileira.

Trata-se do 80º. trabalho da carreira de Inezita e também de seu primeiro trabalho pela gravadora Trama.

"Hoje Lembrando" contou com a Produção de Fernando Faro; arranjos e regências de Théo de Barros, além de duas composições até então inéditas de Paulo Vanzoni: "Bem Iguais" e "Recompensa". Destaque também para "Modinha" de Heitor Villa-Lobos, sobre Poema de Manuel Bandeira.


Quero aqui destacar também o álbum sêxtuplo lançado em 2012 pela EMI intitulado "O Brasil de Inezita Barroso", o qual brinda o Apreciador com seis belíssimos CD's contendo os 7 primeiros LP's gravados pela "Madrinha" Inezita Barroso na antiga gravadora Copacabana (entre 1955 e 1961), além de faixas-bonus oriundas de Discos 78 RPM e também de participações inéditas em LP's de coletâneas, as quais chegam até o ano de 1962!!!

Esse excelente álbum inclui encartes riquíssimos em informações tais como comentários de Inezita sobre cada uma das faixas, a letra de todas as Músicas, além da reprodução da capa e da contracapa de cada um dos LP's originais!!!

Com o sub-título "O 'Folclore Explosivo', o Sertanejo Autêntico e as Pérolas Regionais" esse maravilhoso trabalho editado pela Microservice Tecnologia Digital, totaliza 89 faixas remasterizadas, com destaque para "Peixe Vivo" (Henrique de Almeida - Rômulo Prates - Nonô Timoneiro), "Engenho Novo" (Heckel Tavares), "Lampião De Gaz" (Zica Bergami), "Marvada Pinga (Moda Da Pinga)" (Ochelsis Laureano - Raul Torres), "Adeus Minas Gerais" (Juracy Silveira), "O Batateiro" (Zica Bergami), "Na Serra Da Mantiqueira" (Ary Kerner Veiga de Castro), "Na Baixa Do Sapateiro" (Ary Barroso), "Luar Do Sertão" (Catulo da Paixão Cearense - João Pernambuco), "Maringá" (Joubert de Carvalho), "De Papo Pro Ar" (Joubert de Carvalho - Olegário Mariano), "Prenda Minha" (Motivo Folclórico Gaúcho), "Eu Me Agarro Na Viola (Tirana De Vila Nova)" (Tradicional - Recolhida por Waldemar Henrique), "A Voz Do Violão" (Horácio Campos - Francisco Alves), "Conversa De Caçador" (Edvina de Andrade) e "Balaio" (Tradicional - Adaptação: Barbosa Lessa - Paixão Côrtes), apenas para citar algumas!!!

Sem dúvida, um excelente resgate da Memória Musical Brasileira que não pode faltar na coleção do Apreciador!!!


Quero também convidar o Apreciador a visitar o Site Oficial de Inezita Barroso com biografia, fotos de diversos momentos de sua carreira, agenda de shows e deliciosas Receitas Caipiras!

Parabéns, Inezita!! Parabéns pelo "Viola Minha Viola" e por defender a nossa autêntica Música Raiz!!


Contato para venda de CD' s:
(11) 3221-0727
(11) 3221-4017
(11) 3337-7309
(11) 9601-3653
e-mail: [email protected]




Clique aqui e ouça "Adeus Minas Gerais" (Juracy Silveira) na inconfundível voz de Inezita Barroso num Arquivo Musical pertencente ao Site MPB-NET.

Clique aqui e ouça "Roda Carreta" (Paulo Ruschel), na belíssima voz de Inezita Barroso, e que é a 9ª Faixa do CD Hoje Lembrando, lançado pela Gravadora Trama em 2003.

Clique aqui e ouça "Leilão" (Hekel Tavares - Joracy Camargo), na belíssima voz de Inezita Barroso, e que é a 8ª Faixa do CD Hoje Lembrando, lançado pela Gravadora Trama em 2003.

Clique aqui e ouça a Canção "A Voz do Violão" (Francisco Alves - Horácio Campos), na belíssima voz de Inezita Barroso, e que é a 7ª Faixa do CD Hoje Lembrando, lançado pela Gravadora Trama em 2003.

Clique aqui e ouça "Modinha" (Heitor Villa-Lobos), sobre Poema de Manuel Bandeira, na belíssima voz de Inezita Barroso, e que é a 4ª Faixa do CD Hoje Lembrando, lançado pela Gravadora Trama em 2003.

Clique aqui e ouça "Maracatu Elegante" (José Prates) interpretado por Inezita Barroso e acompanhamento regional, numa gravação histórica do Disco 78 RPM - 801430 - Lado B - Gravadora Rca victor - Gravado em 13/10/1954 - Lançado em Maio/1955 - do Acervo de José Ramos Tinhorão - num excelente Arquivo Musical pertencente ao IMS - Instituto Moreira Salles, excelente site que se preocupa com a Preservação de Inestimáveis Acervos Brasileiros em termos de Música, Fotografia, Artes Plásticas e Biblioteca, o qual convido o Apreciador a visitar!

Clique aqui e ouça a inesquecível Valsa "Lampião de Gás" (Zica Bergami) interpretada por Inezita Barroso, acompanhada pela Orquestra e Coro da Rádio Record de São Paulo-SP, em sua primeira gravação (histórica) do Disco 78 RPM - 5890 - Lado A - Gravadora Copacabana - Gravado em Maio/1958 - do Acervo de José Ramos Tinhorão - num excelente Arquivo Musical pertencente ao IMS - Instituto Moreira Salles, excelente site que se preocupa com a Preservação de Inestimáveis Acervos Brasileiros em termos de Música, Fotografia, Artes Plásticas e Biblioteca, o qual convido o Apreciador a visitar!


Na foto abaixo, de autoria de Valéria Gonçalvez, Inezita Barroso, na sala de sua residência, com uma de suas seis Violas, por ocasião da reportagem no Jornal O Estado de São Paulo, em comemoração ao 85º Aniversário de Inezita Barroso, no dia 04/03/2010, no artigo intitulado "Um Pilar Da Raiz Brasileira Em Mais De Oito Décadas", de autoria de Lucas Nobile:




E o programa Viola Minha Viola comemorou seus 30 anos no Auditório Ibirapuera no dia 17/06/2010. Clique aqui, veja e ouça a matéria que foi ao ar no programa Metrópolis na TV Cultura de São Paulo-SP, homenageando o excelente programa!!!


E, nas fotos abaixo, Inezita Barroso, comemorando no Ibirapuera os 30 Anos Do Viola Minha Viola, em companhia de excelentes Músicos do quilate de Zé Mulato e Cassiano, Almir Sater, Liu e Léu, Lourenço e Lourival, Léo Canhoto e Robertinho, Irmãs Barbosa, Irmãs Galvão, Pedro Bento e Zé da Estrada e Mocóca e Paraíso, dentre outros!!!








Netinha e eu tivemos mais uma vez a felicidade de rever a "Madrinha" Inezita Barroso, pessoalmente, nos dias 21 e 27/10/2010, por ocasião da apresentação que teve lugar no SESC de Santo André-SP e também da gravação de mais um Programa "Viola Minha Viola", respectivamente:

Na foto abaixo, Inezita Barroso e o Regional Viola Minha Viola, por ocasião da apresentação no SESC de Santo André-SP, no dia 21/10/2010:




Na foto abaixo, nossa amiga Rose apreciando o show de Inezita Barroso, que teve lugar no SESC de Santo André-SP, no dia 21/10/2010. Rose é Amiga de minha Esposa (a Netinha), com ela pratica esportes e é também Apreciadora da autêntica Música Caipira Raiz!




Na foto abaixo, da esquerda prá direita, Rose, Ricardinho e Arnaldo Freitas, excelente Solista de Viola que faz parte do Regional Viola Minha Viola, por ocasião da mesma apresentação de Inezita Barroso que teve lugar no SESC de Santo André-SP no dia 21/10/2010:




Na foto abaixo, da esquerda prá direita, Rose, Valdir Lemos ("Escurinho") (Percussionista do Regional Viola Minha Viola), Ricardinho e Sandra Cristina Peripato (criadora do Site Recanto Caipira), por ocasião da mesma apresentação de Inezita Barroso que teve lugar no SESC de Santo André-SP no dia 21/10/2010:




Na foto abaixo, da esquerda prá direita, Rose, Ricardinho, Joãozinho (Violonista do Regional Viola Minha Viola), Sandra Cristina Peripato (criadora do Site Recanto Caipira) e Arnaldo Freitas (Solista de Viola do Regional Viola Minha Viola), por ocasião da mesma apresentação de Inezita Barroso que teve lugar no SESC de Santo André-SP no dia 21/10/2010:




Na foto abaixo, Arnaldo Freitas (Solista de Viola do Regional Viola Minha Viola) e a "Madrinha" Inezita Barroso, por ocasião da mesma apresentação no SESC de Santo André-SP no dia 21/10/2010:




Na foto abaixo, Inezita Barroso e o Regional Viola Minha Viola, por ocasião da gravação do programa Viola Minha Viola, no dia 27/10/2010, programa esse que foi ao ar no dia 14/11/2010, pela TV Cultura de São Paulo-SP, apresentado pela "Madrinha" Inezita Barroso:




Na foto abaixo, Valdir Lemos ("Escurinho") (Percussionista do Regional Viola Minha Viola) e minha Esposa (a Netinha), por ocasião da gravação do mesmo programa Viola Minha Viola, no dia 27/10/2010:




E, no Blog de Notícias do Yahoo, foi publicada uma interessante matéria produzida por Pedro Alexandre Sanches, intitulada Inezita, Rainha da Música Caipira, fala de funk, rap, tecnobrega e política!!!

Clique aqui, ou na foto abaixo (de autoria do Yahoo Notícias), e leia essa interessante entrevista concedida pela "Madrinha" Inezita Barroso ao Pedro Alexandre Sanches!!!




Clique aqui, veja e ouça a brilhante entrevista que Inezita Barroso concedeu no Programa do Jô Soares, na Rede Globo, no dia 22/11/2012!!! Joãozinho do Regional Viola Minha Viola acompanhou Inezita ao Violão na Parte Musical dessa Entrevista!!!


Quero aqui recomendar o Livro Inezita Barroso - Com a Espada e a Viola na Mão escrito por Valdemar Jorge, e que faz parte da Coleção Aplauso Música - editado pela Biblioteca da Imprensa Oficial - Governo do Estado de São Paulo em 2012 - ISBN: 978-85-401-0023-7.

Narrado na primeira pessoa do singular, a agradabilíssima leitura desse livro nos conduz à fascinante Trajetória Musical da "Madrinha" Inezita Barroso, as Pesquisas de Folclore, as viagens de Jipe pelo Interior do Brasil, os primeiros Discos por ela gravados, além de toda a História do excelente Programa Viola Minha Viola, e, como se tudo isso não bastasse, o livro também brinda o Apreciador com a Discografia de Inezita e belíssimas fotos de diversas épocas em toda sua Vida de 90 anos dedicada à Preservação da Autêntica e Verdadeira Boa Música Brasileira!!!

Desnecessário dizer que é uma leitura "imperdível"!!! Um livro que não pode faltar na Coleção de nenhum Apreciador da Boa Música de um modo geral!!!



E foi com profunda tristeza que a Cultura Caipira recebeu a notícia do falecimento da "Madrinha" e Comendadora Inezita Barroso, aos 90 anos e 4 dias de idade, na noite do dia 08/03/2015, por volta das 22:00, vítima de insuficiência respiratória aguda, no Hospital Sírio-Libanês em São Paulo-SP, onde estava internada, desde o dia 19/02/2015...

Fica no ar a "pergunta que não quer calar": Quem poderá substituir Inezita no Viola Minha Viola?

Em minha sincera opinião, eu a considero insubstituível...

Deixo então a sugestão para a excelente TV Cultura de São Paulo-SP, que esse maravilhoso programa continue no ar!!!

Assim como podemos ver os maravilhosos filmes de Mazzaropi, Charlie Chaplin, "Os Três Patetas" e "O Gordo e o Magro", entre muitos outros, o Apreciador também deve continuar a ver os programas que a "Madrinha" deixou gravados!!!

E também para que as novas gerações que virão possam conhecer melhor o Incomensurável Legado que Inezita Barroso deixou, em Termos de Pesquisa de Folclore e de nossa Boa Música Brasileira!!!

O corpo da "Madrinha" foi velado no Hall Monumental da Assembléia Legislativa de São Paulo-SP e seus restos mortais agora repousam no Cemitério Gethsêmani, na Capital Paulista...

Parabéns, "Cumadre" Inezita Barroso!!! Parabéns por essa determinação!!! Parabéns por esse Maravilhoso Trabalho em prol da Preservação do Nosso Riquíssimo Folclore, da Nossa Autêntica Música Caipira Raiz e da Nossa Boa Música Brasileira!!!

Lágrimas são inevitáveis, é lógico... Mas, muito mais do que isso, Inezita merece, por toda essa Vida Dedicada à Boa Música Brasileira, uma calorosa salva de palmas, como realmente aconteceu no Velório...

Mesmo porque, por outro lado, com certeza, os dias 08 e 09/03/2015 foram "Dias de Festa" no Oriente Eterno.·.!!!

Temos certeza de que a "Madrinha" foi recebida de braços abertos!!! E sua Linda Voz, sua Viola e seu Violão agora já fazem parte do Grande Coro e da Grande Orquestra Celestial de Violeiros.·., sob a Regência do Grande.·. Arquiteto.·. Do.·. Universo.·. ...

"Madrinha" Inezita Barroso: Receba de Netinha e Ricardinho essa singela homenagem...





Obs.: As informações contidas no texto desta página são originárias principalmente do Livro "Música Caipira - Da Roça ao Rodeio" de Rosa Nepomuceno. O presente texto contém também informações do Site Oficial de Inezita Barroso e também do Site da Gravadora Revivendo. Ver mais detalhes e links na página Para saber mais... onde constam as Referências Bibliográficas sem as quais a elaboração deste site teria sido impossível.



Essa viagem pela Música Caipira Raiz continua: Clique aqui e pegue o trem, que ele agora irá para Goiás-GO, a cidade histórica que é a antiga Capital do Estado de Goiás, que é a terra-natal dessa excelente Cantadora, Pesquisadora de Folclore, Violonista, Professora e também Farmacêutica, que é a Ely Camargo! Conheça um pouquinho da trajetória musical desse ícone que é de fundamental importância não apenas para o Folclore Goiano, mas também para o riquíssimo Folclore Brasileiro! Conheça um pouquinho da trajetória de Ely Camargo.




Ou então, se você preferir outro compositor ou intérprete, clique aqui e "pegue outro trem para outra estação", na Página-Índice dos Compositores e Intérpretes.

















Voltar ao Topo