Zilo e Zalo - A primeira Dupla Caipira a vender discos no Exterior!









Página Inicial


Para saber mais...


Página Índice dos Compositores e Intérpretes


Ouvir Música Caipira





Nosso "trem" agora vai dar uma parada na estação de Santa Cruz do Rio Pardo-SP, onde nasceu a primeira Dupla Caipira Brasileira que começou a vender sues discos fora das nossas fronteiras:

Aníbio Pereira de Souza, o Zilo, nasceu no Sítio Ribeirão dos Cubas em Santa Cruz do Rio Pardo-SP em 01/03/1935 e faleceu em São Paulo-SP em 06/01/2002. Belizário Pereira de Souza, o Zalo, nasceu também no mesmo sítio em Santa Cruz do Rio Pardo-SP em 25/05/1937 e faleceu em Mogi Guaçu-SP no dia 01/08/2012.

Trabalhavam na lavoura com o pai que também dançava Catira nas festas do lugar. Começaram a cantar com apenas 11 e 9 anos de idade nos bailinhos, coretos e festas paroquiais nos fins de semana e também nas tradicionais Festas de Santos Reis. Aprenderam a cantar e também a tocar Violão, Viola e Cavaquinho. Por essa época começaram também a compor algumas modinhas.

Em 1954, eles eram "Pereré e Pereirinha" e cantaram durante seis meses diversos sucessos das duplas mais conhecidas da época (dentre as quais Tonico e Tinoco, Zé Carreiro e Carreirinho e Vieira e Vieirinha), na Rádio Difusora de Santa Cruz do Rio Pardo-SP.

E, no mesmo ano de 1954, Zilo e Zalo mudaram-se juntamente com a família para a Paulicéia Desvairada, onde Aníbio passou a trabalhar num almoxarifado e Belizário passou a trabalhar com o pai num armazém de cereais.

Foi em Vila Nova Cachoeirinha que eles se apresentaram pela primeira vez no Circo Rancho Alegre, de Paiozinho. Agradaram o público e, conseqüentemente, receberam o convite para participar do programa "Na Casa dos Fazendeiros", de Paiozinho e Zé Tapera, na Rádio Cultura. E foi nessa ocasião que Aníbio e Belizário assumiram o nome artístico de "Zilo e Zalo".

Participaram também do Festival do Jubileu de Prata da Rádio Record, no qual ficaram entre os dez primeiros colocados.

Em 1956, a convite do compositor e radialista Zacarias Mourão, passaram a participar da programação sertaneja da Rádio Bandeirantes, onde permaneceram até 1961 e se apresentaram também nos programas "Serra da Mantiqueira", "Brasil Caboclo" e "Novidades Sertanejas".

E em 1958, a convite de Cascatinha, que era diretor artístico do selo Todamérica, Zilo e Zalo gravaram seu primeiro disco, o 78 RPM (TA-5.797) contendo o Cateretê "A Volta do Seresteiro" (Zalo - Benedito Seviero) e a Toada "Adeus do Mineiro" (Teddy Vieira - Piraci).

A Toada "Adeus do Mineiro" (Teddy Vieira - Piraci), diga-se de passagem, foi uma belíssima Composição Musical que homenageou o Mineiro da inesquecível Dupla Mineiro e Manduzinho, que havia acabado de falecer, logo após a gravação do 5º Disco 78 RPM (RCA Victor - 80-1561), em 1956, e que tinha, no Lado A, a primeira gravação de "João de Barro" (Teddy Vieira - Muybo Cesar Cury)!

A partir desse primeiro Disco 78 RPM, iniciou-se a trajetória de sucesso e a dupla foi contratada pela gravadora Continental. São dessa época alguns dos seus principais sucessos, dentre eles, "Castigo Merecido" (Zalo - Alcindo Machado), "O Silêncio do Seresteiro" (Zilo - Benedito Seviero) e "Engano do Carteiro" (Léo Canhoto), apenas para citar algumas.

Zilo e Zalo foram também a primeira Dupla Caipira a lançar e vender discos no estrangeiro: após o sucesso de "Grande Esperança" (Goiá - Francisco Lázaro) gravada em 1965, a Chantecler lançou no ano seguinte um Compacto Simples (C-16110), que foi um trabalho beneficente, comercializado somente no mercado internacional, contendo o Rasqueado "Castelo de Areia" (Carreirinho) e a Guarânia "Grande Esperança" (Francisco Lázaro - Goiá). Esse Compacto Simples foi lançado na África do Sul, de acordo com a informação que me foi passada pelo próprio Zalo, num contato telefônico!

Zilo e Zalo passaram também por diversas emissoras de Rádio, dentre as quais a Nove de Julho, a Nacional (atual Globo) e também a Record, onde permaneceram de 1973 a 1982 no "Linha Sertaneja Classe A", programa que era apresentado pelo compositor Sebastião Vitor e, mais tarde, pelo famosíssimo Zé Béttio.

Em 1983, deixaram os programas de rádio e passaram a se dedicar exclusivamente aos shows.

Zilo e Zalo gravaram músicas de diversos estilos tais como "Moda de Viola", "Canção Rancheira", "Forró", "Toada", "Batidão", "Tango", "Guarânia", etc. Percorreram diversos Estados Brasileiros, onde obtiveram reconhecimento e gravaram, ao longo da brilhante carreira, mais de 400 músicas, tanto composições próprias como também de outros compositores, além de parcerias diversas. Foram diversos sucessos inesquecíveis, dentre os quais, "O Milagre do Ladrão (Léo Canhoto - Zilo), "Alma do Ferreirinha" (Zilo - Jeca Mineiro), "Feitiço Espanhol" (Goiá - Zacarias Mourão), "Boiadeiro Errante" (Teddy Vieira) e "Caminheiro" (Jack), apenas para citar alguns.

Zilo sofreu um derrame no segundo semestre de 2001. E, próximo do Natal desse mesmo ano, foi hospitalizado no Instituto do Coração (INCOR) de São Paulo-SP, vítima de um segundo derrame, o qual deixou sua saúde bastante debilitada e, pouco antes de completar 67 anos, um terceiro derrame fez Aníbio Pereira de Souza "passar para o Andar de Cima", no final da tarde do Domingo 06/01/2002 no INCOR.

Zilo foi sepultado na tarde de Segunda-Feira, 07/01/2002, em São Paulo-SP. No mesmo dia, foi homenageado pelo apresentador Noel Júnior num programa especial na Rádio Difusora de Santa Cruz do Rio Pardo-SP que, conforme já foi dito, foi a primeira emissora onde Zilo e Zalo se apresentaram.

Renato Geraldo Pereira de Souza ("Zalinho"), filho de Zalo, formou com o pai a Dupla "Zalo e Renato" a qual reviveu os sucessos da inesquecível Dupla "Zilo e Zalo"!

Na foto abaixo, Renato (à esquerda) e Zalo (à direita), quando da ocasião da entrevista para a Revista Viola Caipira N°. 17 editada em 2007 pelo Pinho em Belo Horizonte-MG.





Clique aqui, veja e ouça o inesquecível Compositor Goiá, em seus últimos meses de vida, sendo entrevistado por Moraes Sarmento e Nonô Basílio, num dos primeiros Programas Viola Minha Viola, no início da década de 1980, na TV Cultura de São Paulo-SP! E, nesse mesmo clip, a Dupla "Zilo e Zalo" interpreta sua belíssma Composição "Grão de Areia" (Goiá - Leonardo Amâncio)!


Zalo "passou para o Oriente Eterno" no dia 01/08/2012, após alguns dias internado com problemas cardíacos, além do fato de que já vinha sofrendo há alguns meses o mal de Alzheimer... Deixando, sem dúvida, um enorme "vazio" na Música Caipira Raiz, mas, com certeza, enriquecendo mais um pouquinho a Grande Orquestra Celestial de Violeiros, regida pelo Grande Arquiteto do Universo!!!


Zilo e Zalo: recebam de Ricardinho essa singela homenagem...



Obs.: As informações contidas no texto desta página são originárias de contatos por e-mail com Renato Zalo, além de informações do próprio Zalo, através de contato telefônico, e informações adicionais que me foram fornecidas pelo Radialista, Produtor e Pesquisador Maikel Monteiro (com Ricardinho, na foto à esquerda) que, ao lado de seu grande Amigo José Francisco, produz e apresenta o excelente Programa Brasil Caboclo que vai ao ar aos Domingos às 07:00 da manhã pela Rádio Paraná Educativa (e-Paraná) de Curitiba-PR (AM 630 kHz), e que conhece a fundo a trajetória de diversos excelentes intérpretes da Música Caipira Raiz, tais como "Zilo e Zalo", as Irmãs Galvão, Tonico e Tinoco, Nhô Belarmino e Nhá Gabriela, Tuta e Tota, Jacó e Jacozinho, Leôncio e Leonel, Abel e Caim, Luizinho, Limeira e Zezinha, Pininha e Verinha, Mogiano e Mogianinho e também das duas Duplas Mineiro e Manduzinho, apenas para citar alguns!!! Também obtive informações oriundas dos sites Dicionário Cravo Albin de Música Popular Brasileira, Revista Viola Caipira, Gravadora Revivendo e Home Page Oficial dos Violeiros do Brasil, bem como do Livro "Música Caipira - Da Roça ao Rodeio" de Rosa Nepomuceno. Ver mais detalhes e links na página Para saber mais... onde constam as referências bibliográficas sem as quais a elaboração deste site teria sido impossível.


Essa viagem pela Música Caipira Raiz continua: Clique aqui e pegue o trem, que ele agora irá para Taubaté-SP: conheça um pouquinho dessa Dupla Caipira que, apesar da pouca duração e das poucas informações disponíveis, teve bastante destaque e representatividade no Vale do Paraíba, no Estado de São Paulo e deixou sua importante contribuição, fazendo parte da História da Música Raiz. Conheça um pouquinho dessa excelente dupla que foi Souza e Monteiro.


Ou então, se você preferir outro compositor ou intérprete, clique aqui e "pegue outro trem para outra estação", na Página-Índice dos Compositores e Intérpretes.

















Voltar ao Topo